Polícia mata negro e reacende questão racial nos EUA

Morte de Philando Castile (32) pela polícia de Falcon Heights, em Minnesota, no norte dos Estados Unidos, reacendeu o debate sobre o racismo nas forças de segurança norte-americanas; Castile estava em um carro com sua namorada e uma criança quando foi parado por uma viatura; abordado pelos policiais, ele disse ter uma arma regularizada, mas, ao tentar pegar sua carteira, foi baleado pelos agentes, a companheira de Castile, que também filmou o momento após os disparos e jogou o vídeo nas redes sociais; dois dias antes, em Baton Rouge, capital de Louisiana, Alton Sterling, negro de 37 anos, também foi assassinado pela polícia, que o baleou na certeza de que ele estava armado

Morte de Philando Castile (32) pela polícia de Falcon Heights, em Minnesota, no norte dos Estados Unidos, reacendeu o debate sobre o racismo nas forças de segurança norte-americanas; Castile estava em um carro com sua namorada e uma criança quando foi parado por uma viatura; abordado pelos policiais, ele disse ter uma arma regularizada, mas, ao tentar pegar sua carteira, foi baleado pelos agentes, a companheira de Castile, que também filmou o momento após os disparos e jogou o vídeo nas redes sociais; dois dias antes, em Baton Rouge, capital de Louisiana, Alton Sterling, negro de 37 anos, também foi assassinado pela polícia, que o baleou na certeza de que ele estava armado
Morte de Philando Castile (32) pela polícia de Falcon Heights, em Minnesota, no norte dos Estados Unidos, reacendeu o debate sobre o racismo nas forças de segurança norte-americanas; Castile estava em um carro com sua namorada e uma criança quando foi parado por uma viatura; abordado pelos policiais, ele disse ter uma arma regularizada, mas, ao tentar pegar sua carteira, foi baleado pelos agentes, a companheira de Castile, que também filmou o momento após os disparos e jogou o vídeo nas redes sociais; dois dias antes, em Baton Rouge, capital de Louisiana, Alton Sterling, negro de 37 anos, também foi assassinado pela polícia, que o baleou na certeza de que ele estava armado (Foto: Paulo Emílio)

Ansa - Dois dias depois de um episódio similar em Louisiana, um homem negro foi morto ontem (6) pela polícia de Falcon Heights, em Minnesota, no norte dos Estados Unidos, reacendendo o debate sobre o racismo nas forças de segurança norte-americanas. Desta vez, a vítima foi Philando Castile, de 32 anos.

Segundo a imprensa local, ele estava em um carro com sua namorada e uma criança quando foi parado por uma viatura. Abordado pelos policiais, ele disse ter uma arma regularizada, mas, ao tentar pegar sua carteira, foi baleado pelos agentes.

A reconstrução se baseia no relato da companheira de Castile, que também filmou o momento após os disparos e jogou o vídeo nas redes sociais. A gravação mostra o homem ensanguentado no banco do motorista e um policial armado no lado de fora. Uma investigação foi aberta para apurar o caso.

Dois dias antes, em Baton Rouge, capital de Louisiana, Alton Sterling, negro de 37 anos, foi assassinado pela polícia, que o baleou na certeza de que ele estava armado. "Episódios como esse minaram a confiança entre os departamentos de polícia e as comunidades às quais servem", afirmou nessa quarta-feira a candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton.

Veja o vídeo (atenção: contém imagens fortes)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247