Polícia prendeu mais de 200 'coletes amarelos' neste sábado com volta de protestos

A polícia francesa atirou gás lacrimogêneo e prendeu mais de 200 pessoas em Paris neste sábado, no retorno de protestos dos “coletes-amarelos” às ruas da capital pela primeira vez desde o isolamento contra a pandemia de coronavírus

Polícia usa gás lacrimogêneo em retorno dos protestos dos "coletes-amarelos" em Paris. 12/09/2020
Polícia usa gás lacrimogêneo em retorno dos protestos dos "coletes-amarelos" em Paris. 12/09/2020 (Foto: REUTERS/Gonzalo Fuentes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - A polícia francesa atirou gás lacrimogêneo e prendeu mais de 200 pessoas em Paris neste sábado, no retorno de protestos dos “coletes-amarelos” às ruas da capital pela primeira vez desde o isolamento contra a pandemia de coronavírus.

O movimento “coletes-amarelos”, batizado pelos coletes altamente visíveis dos motoristas, começou no fim de 2018 contra as reformas do preço do combustível e da economia em geral, um grande desafio ao presidente Emmanuel Macron, com manifestações espalhadas pela França.

Até o meio-dia de sábado, centenas de manifestantes tinham se reunido no ponto de partida para duas marchas autorizadas.

Enquanto uma delas partiu sem incidentes, a outra viu a polícia entrar em conflito com grupos que deixaram a rota designada e colocaram fogo em latas de lixo e um carro.

Alguns dos manifestantes usaram roupas pretas e carregaram bandeiras de um movimento antifascismo, indicando a presença de radicais chamados de “black blocks”, frequentemente culpados pela violência em protestos de rua na França.

O retorno do movimento acontece no momento em que a França luta contra o crescimento de casos de coronavírus.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email