'Pompeo é um dos piores secretários de Estado da história dos EUA', comenta Washingon Post

“Desde a Segunda Guerra Mundial, tem sido impossível encontrar um outro secretário de Estado ainda menos eficiente do que Mike Pompeo. Seu desempenho durante a epidemia o tornará um dos piores secretários de Estado de todos os tempos", comenta o jornal americano Washington Post

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo
O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo (Foto: REUTERS / Tamas Kaszas)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rádio Internacional da China - O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, foi alvo de severas críticas no Washington Post. Vendo o que ele tem feito desde o surto epidêmico do novo coronavírus, sabemos que é realmente merecedor do título “um dos piores secretários de Estado da história”.

Sob a orientação de Pompeo, que se sente orgulhoso de "mentira, engano e roubo", a diplomacia dos EUA está desviando do caminho correto com a deterioração das relações com grandes países como China e Rússia e a expansão da ruptura com seus aliados ocidentais. Os EUA estão seguindo o caminho do unilateralismo para mais e mais longe.

Desde o início da pandemia, Pompeo não parou de difamar a China. Ele chamou publicamente em várias ocasiões o novo coronavírus de “Vírus de Wuhan”, denegriu o Partido do poder e o sistema político da China como “ameaça da época”, e até tentou incluir o “Vírus de Wuhan” na declaração da conferência dos chanceleres do G7. Seu comportamento demonstra que ele não vê a pandemia como um assunto triste, mas aproveita-a para ganhar interesses políticos. Sua difamação à China com forte pensamento de Guerra Fria e preconceito ideológico chocaram a comunidade internacional e receberam críticas da elite dos EUA.

A ex-conselheira de segurança do Estado norte-americano, Susan Rice, criticou Pompeo num programa de radiodifusão, dizendo que as palavras proferidas, como “Vírus de Wuhan”, são a vergonha do país. De fato, Pompeo não só atacou a China, mas também criticou várias vezes a Rússia e o Irã por terem difundido “notícias falsas” sobre a resposta do governo dos EUA contra a pandemia.

Ainda mais ironicamente, a assistência médica ao exterior dos EUA ainda não foi cumprida, porém, Pompeo até mesmo se gabou disso à imprensa, dizendo que "O valor de financiamento dos EUA para a luta internacional contra a epidemia excede em muito a da China". Em relação às suas mentiras descaradas, um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China respondeu: “Pompeo calculou a quantidade de assistência dos EUA à comunidade internacional a partir de 1948, o que é muito interessante".

Hoje, o número de confirmados de infeção pelo novo coronavírus no mundo já ultrapassou a casa de 1,13 milhão. Os EUA já têm 320 mil casos confirmados, tornando-se o novo epicentro da pandemia. Para o governo norte-americano, não há nada mais urgente do que conter a propagação da epidemia o mais rápido possível e minimizar a morte do povo. No Entanto, o secretário de Estado do país continua estigmatizando a China. Para esse fim, ele não hesita em sacrificar os interesses de seu próprio povo, tornando-se um obstáculo à cooperação global na luta contra a epidemia.

O comentário do Washington Post indica que, enquanto outros líderes com maior responsabilidade estão se empenhando contra a pandemia, Pompeo está em busca de suas próprias causas, como se nada estivesse acontecendo. Quais são as suas causas? Difamar a China, criar um confronto global ou perseguir ambições políticas? É claro que essas causas só trarão vergonha e infelicidade aos EUA."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email