Por discurso de ódio, Twitter bane ex-líder da Ku Klux Klan que declarou apoio a Bolsonaro

Em 2018, durante as eleições no Brasil, Duke declarou apoio ao então candidato Jair Bolsonaro: "Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista", disse

Liderança da Ku Klux Klan declara apoio a Bolsonaro: 'ele soa como nós'
Liderança da Ku Klux Klan declara apoio a Bolsonaro: 'ele soa como nós'
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Por propagar discurso de ódio, o Twitter suspendeu permanentemente a conta de David Duke, ex-líder de uma das gerações da Ku Klux Klan, grupo de supremacia branca que perseguia e torturava negros nos Estados Unidos entre o século 19 e 20 e ainda tem apoiadores.

"A conta foi suspensa permanentemente por violações repetidas das regras do Twitter sobre conduta odiosa", disse um porta-voz da rede à revista Newsweek.

O perfil está sem foto e sem informações no feed de notícias, apenas uma mensagem dizendo que a conta foi suspensa.

Duke já teve sua conta retirada do YouTube em junho, por desrespeitar as regras da rede com discursos de ódio. Duke defende a superioridade do homem branco norte-americano e europeu, além de outros discursos extremistas que agravam o racismo.

Em 2018, durante as eleições no Brasil, Duke sinalizou apoio ao então candidato Jair Bolsonaro: "Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247