Porta-voz da chancelaria russa: Ocidente quer impedir Copa na Rússia

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, sugeriu  que o objetivo principal de alguns países ocidentais é impedir a realização da Copa do Mundo da FIFA na Rússia; "Eu tenho uma impressão grande que (alguns países ocidentais ainda sonham) em mudar a Copa do Mundo da Rússia de qualquer maneira. Tudo está focado naquela bola de futebol que, se os céus permitirem, vai tocar um campo de futebol russo",  declarou

Porta-voz da chancelaria russa: Ocidente quer impedir Copa na Rússia
Porta-voz da chancelaria russa: Ocidente quer impedir Copa na Rússia (Foto: SERGEI KARPUKHIN/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Sputnik Brasil

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, sugeriu no domingo que o objetivo principal de alguns países ocidentais é impedir a realização da Copa do Mundo da FIFA na Rússia.

Zakharova foi questionada durante uma entrevista com o Canal 5 da Rússia se a Rússia poderia ser isolada pelos países ocidentais no contexto da realização da Copa do Mundo no país.

"Eu tenho uma impressão grande que (alguns países ocidentais ainda sonham) em mudar a Copa do Mundo da Rússia de qualquer maneira. Tudo está focado naquela bola de futebol que, se os céus permitirem, vai tocar um campo de futebol russo", Zakharova declarou.

As relações entre a Rússia e o Ocidente se deterioraram drasticamente nas últimas semanas, devido ao envenenamento do ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha no Reino Unido.

Nos últimos dias, mais de 25 países anunciaram suas decisões de expulsar coletivamente mais de 150 diplomatas russos como sinal de solidariedade a Londres, que culpa autoridades em Moscou pelo crime. A Rússia rejeitou fortemente as acusações e já adotou uma resposta recíproca a cada um dos países.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247