Premiê turco promete resposta “extremamente dura" às ações dos Países Baixos

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, condenou as ações dos Países Baixos, que impediram o acesso da ministra turca da Família e Assuntos Sociais, Fatma Betul Kaya, ao Consulado-Geral da Turquia em Roterdã; "Protestamos veementemente pela atitude do governo holandês, que terá uma resposta extremamente dura por parte de Ancara", disse Yildirim citado pela agência Anadolu; o primeiro-ministro salientou que a pressão sobre a Turquia e sobre uma ministra que tem imunidade diplomática é inadmissível

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim
O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim (Foto: Giuliana Miranda)

Da Sputnik Brasil

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, condenou as ações dos Países Baixos, que impediram o acesso da ministra turca da Família e Assuntos Sociais, Fatma Betul Kaya, ao Consulado-Geral da Turquia em Roterdã.

"Protestamos veementemente pela atitude do governo holandês, que terá uma resposta extremamente dura por parte de Ancara", disse Yildirim citado pela agência Anadolu.

O primeiro-ministro salientou que a pressão sobre a Turquia e sobre uma ministra que tem imunidade diplomática é inadmissível.

Yildirim disse que os acontecimentos de Roterdã são um "grande escândalo diplomático".

"Os nossos parceiros europeus, que aproveitam cada oportunidade para falar de liberdade de expressão, direitos humanos e democracia, desrespeitaram eles próprios os direitos humanos", disse o premiê turco.

As tensões diplomáticas entre a Turquia e os Países Baixos se deterioraram depois de o Governo holandês revogar a autorização para o pouso do avião do ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, alegando que sua visita ameaçava a segurança e a ordem pública.

Um manifestante segura uma bandeira turca fora do consulado turco em Roterdã, onde uma multidão reuniu-se para aguardar a chegada do ministro da Família Turca, Fatma Betul Sayan Kaya, que decidiu viajar para Roterdã por terra depois que o ministro dos Negócios Estrangeiros turcos, Mevlut Cavusoglu, O governo holandês, em Roterdã, Holanda, 11 de março de 2017.

As autoridades holandesas também interceptaram o veículo que transportava a ministra da Família, Fatma Betul Kaya, e a obrigaram a abandonar os Países Baixos rumo à Alemanha, sob escolta policial, depois de ela ter esperado durante uma hora a permissão para entrar no consulado turco em Roterdã.

Tanto Cavusoglu como Kaya pretendiam se reunir com representantes da numerosa comunidade turca nos Países Baixos, muitos dos quais têm dupla nacionalidade, para obter seu apoio às emendas constitucionais, que serão submetidas a referendo na Turquia no dia 16 de abril.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247