Presidente afastada da Coreia do Sul acusa opositores de "armação"

Presidente afastada da Coreia do Sul, Park Geun-hye negou as acusações que pesam contra ela e acusou os opositores de armação; Park negou que tivesse dado a amiga Choi Soon-sil o controle sobre as decisões governamentais e efutou as acusações de que teria criado uma "lista negra" para prejudicar seus inimigos políticos; parlamento já votou pelo impeachment e agora, Park aguarda a decisão final do Tribunal Constitucional

Presidente sul-coreana, Park Geun-hye. 01/03/2016 REUTERS/Jung Yeon-Je/Pool/File Photo
Presidente sul-coreana, Park Geun-hye. 01/03/2016 REUTERS/Jung Yeon-Je/Pool/File Photo (Foto: Paulo Emílio)

Sputnik - A presidente afastada da Coreia do Sul, Park Geun-hye negou as acusações que pesam contra ela e acusou os opositores de armação. Park recebeu um pequeno grupo de jornalistas e comentou pela primeira vez, o escândalo do lobby político envolvendo a amiga Choi Soon-sil.

Segundo a agência de notícias Yonhap, ela negou que tivesse dado a Choon, o controle sobre as decisões governamentais. Park também refutou as acusações de que teria criado uma "lista negra" para prejudicar seus inimigos políticos. A presidente é acusada de ter conspirado com Choon para extorquir dinheiro e favores de empresas do país de modo a beneficiar suas organizações políticas.

O Parlamento já votou pelo impeachment e agora, Park aguarda a decisão final do Tribunal Constitucional, que tem seis meses para decidir se ela deve ou não ser permanentemente retirada do cargo.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247