Presidente de Cuba denuncia lawfare contra Lula: armadilhas legais escandalosas

“Lula foi preso sob acusações falsas e armadilhas legais escandalosas. É um exemplo de quão longe os inimigos da esquerda podem ir”, declarou Miguel Díaz-Canel

Miguel Díaz-Canel e Lula
Miguel Díaz-Canel e Lula (Foto: Reprodução | Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Nathalia Urban - O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, usou a expressão jurídica lawfare (manipulação das leis para atingir inimigos políticos) para denunciar a perseguição contra o ex-presidente Luiz Inácio do Lula da Silva. O caso brasileiro é um exemplo, segundo ele, de “quão longe os inimigos da esquerda podem ir”.

A denúncia foi feita em seu discurso no encerramento do XXV Foro de São Paulo, realizado em Caracas (Venezuela) entre 25 e 28 de julho, e em seu perfil no Twitter nesta quinta-feira (7), quando compartilhou uma reportagem do jornal cubano Granma a respeito de sua fala no evento.

No discurso, Díaz-Canel citou a mais novo capítulo de decisões judiciais no Brasil, a do Supremo Tribunal Federal, que determinou que a delação do ex-ministro Antonio Palocci não pode ser usada contra Lula, atendendo assim ao pedido da defesa, que apontou violação da imparcialidade na inclusão desta informação seis dias antes das eleições de 2018. 

Díaz-Canel destacou o uso dos sistemas judiciários na política como arma de colonização dos povos da América Latina, e afirmou que os cubanos, assim como milhões de pessoas honestas neste mundo, nunca tiveram a menor dúvida da inocência de Lula, que foi muitas vezes referido como “grande amigo da Ilha”. 

Na mensagem postada no Twitter, o presidente cubano declarou que o caso do ex-presidente brasileiro “prova até onde vão os inimigos” na aplicação dessas ferramentas e a judicialização dos líderes de esquerda é um monstro imperial para aumentar seu domínio sobre os povos da nossa América Latina”.

Não é a primeira vez que o caso de lawfare contra Lula foi mencionado por dirigentes cubanos. O primeiro-secretário do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba, general do Exército Raúl Castro, lembrou, no seu discurso proferido pelo 60º aniversário do triunfo da Revolução Cubana: “Eles conseguiram aprisionar o camarada Lula da Silva e privaram-no do direito de ser candidato à presidência do Partido dos Trabalhadores, para evitar sua segura vitória nas últimas eleições”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247