Presidente de Portugal aceita formar novo governo de minoria

O presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, aceitou nesta terça-feira a formação de uma nova minoria governamental formada pelo premiê Pedro Passos Coelho, criando a contagem regressiva para a conquista da aprovação ou rejeição do Parlamento, dominado pela oposição, no mês que vem

Presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, faz declaração à imprensa no Palácio de Belém, em Lisboa. 22/10/2015 REUTERS/Rafael Marchante
Presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, faz declaração à imprensa no Palácio de Belém, em Lisboa. 22/10/2015 REUTERS/Rafael Marchante (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

LISBOA (Reuters) - O presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, aceitou nesta terça-feira a formação de uma nova minoria governamental formada pelo premiê Pedro Passos Coelho, criando a contagem regressiva para a conquista da aprovação ou rejeição do Parlamento, dominado pela oposição, no mês que vem.

A Presidência informou em nota que os novos ministros do governo de centro-direita, a maioria pertencente à administração anterior, serão empossados na sexta-feira.

Sob a lei portuguesa, o novo governo precisa apresentar seu programa ao Parlamento 10 dias após tomar posse. Caso seja rejeitado, o governo será desfeito.

Os socialistas, principal partido de oposição em Portugal, prometeram na semana passada desfazer o governo de minoria da centro-direita com um voto de não confiança.

Passos Coelho foi nomeado primeiro-ministro na quinta-feira, após sua coalizão ser a que ganhou mais votos na eleição nacional em 4 de outubro, mas perdeu a maioria parlamentar, que passou a ser da soma das cadeiras conquistadas pelos partidos de esquerda.

Os socialistas estavam negociando um acordo de coalizão com o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista e todos os três partidos criticaram o presidente por nomear Passos Coelho como premiê, chamando a ação de perda de tempo.

O partido de Passos Coelho, o PSD, pediu novas conversas com os socialistas recentemente.

(Reportagem de Andrei Khalip)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247