Presidente eleito da Argentina exalta fortaleza e integridade de Lula

"​Comove a fortaleza de @LulaOficial para enfrentar essa perseguição (apenas essa definição se encaixa no processo judicial arbitrário ao qual foi submetido). Sua força demonstra não apenas o compromisso, mas a imensidão desse homem", escreveu

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputinik – Autoridades de esquerda de vários países se manifestaram nas redes sociais em apoio ao ex-presidente Lula, solto nesta sexta-feira (8).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi solto nesta sexta-feira (8), beneficiado pela decisão tomada na véspera pelo Supremo Tribunal Federal de derrubar a prisão após condenação em segunda instância.

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, através do Twitter, destacou a coragem de Lula e classificou o seu processo como uma perseguição política.

"​Comove a fortaleza de @LulaOficial para enfrentar essa perseguição (apenas essa definição se encaixa no processo judicial arbitrário ao qual foi submetido). Sua força demonstra não apenas o compromisso, mas a imensidão desse homem", escreveu.

Já o pré-candidato à presidência dos EUA, o democrata Bernie Sanders, declarou ter ficado "satisfeito" com a liberdade de Lula. De acordo com ele, "Lula fez mais do que qualquer um para diminuir a pobreza no Brasil e apoiar os trabalhadores".

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, também comemorou a soltura de Lula, afirmando que "a verdade triunfou no Brasil". "Em nome do povo da Venezuela, expresso minha profunda alegria pela libertação de meu irmão e amigo", disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247