Putin decreta sanções econômicas contra Turquia

A Rússia impôs sanções econômicas à Turquia em decorrência do abate de um avião de sua força aérea na fronteira com a Síria. A medida foi adotada para "garantir a segurança nacional e a dos cidadãos russos"; decreto com as sanções foi assinado neste sábado pelo presidente russo, Vladimir Putin; na lista estão proibição de voos comerciais entre os dois países e contratação de cidadãos turcos por empresários russos; ficam restritas também a emissão de vistos

A Rússia impôs sanções econômicas à Turquia em decorrência do abate de um avião de sua força aérea na fronteira com a Síria. A medida foi adotada para "garantir a segurança nacional e a dos cidadãos russos"; decreto com as sanções foi assinado neste sábado pelo presidente russo, Vladimir Putin; na lista estão proibição de voos comerciais entre os dois países e contratação de cidadãos turcos por empresários russos; ficam restritas também a emissão de vistos
A Rússia impôs sanções econômicas à Turquia em decorrência do abate de um avião de sua força aérea na fronteira com a Síria. A medida foi adotada para "garantir a segurança nacional e a dos cidadãos russos"; decreto com as sanções foi assinado neste sábado pelo presidente russo, Vladimir Putin; na lista estão proibição de voos comerciais entre os dois países e contratação de cidadãos turcos por empresários russos; ficam restritas também a emissão de vistos (Foto: Romulo Faro)

Da Agência Lusa

A Rússia impôs sanções econômicas à Turquia em decorrência do abate de um avião de sua força aérea na fronteira com a Síria. A medida foi adotada para "garantir a segurança nacional e a dos cidadãos russos". O decreto com as sanções foi assinado hoje (28) pelo presidente russo, Vladimir Putin.

Na lista estão a proibição de voos comerciais entre os dois países e a contratação de cidadãos turcos por empresários russos. Ficam restritas também a emissão de vistos. A entrada na Rússia de algumas mercadorias procedentes da Turquia será limitada ou até suspensa, de acordo uma lista que será elaborada pelo governo.

No dia 24 de novembro, dois caças-bombardeiros F-16 turcos abateram um SU-24 russo por este ter violado o espaço aéreo turco dez vezes no período de cinco minutos. Segundo as autoridades turcas, todas advertências foram ignoradas. O abate ocorreu ao longo da fronteira com a Síria.

Vladimir Putin apresentou uma versão diferente e assegurou que o SU-24 não ameaçava a Turquia e que sobrevoava território sírio a 4 quilômetros da fronteira. O líder russo advertiu que, o que classificou como "facada nas costas", iria ter "consequências sérias" nas relações diplomáticas entre os dois países.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247