Quem se beneficiaria com independência da Califórnia?

Colunista do Los Angeles Times, Conor Friedersdorf avalia que, por razões diferentes, o presidente dos EUA, Donald Trump, juntamente com a maioria dos republicanos no governo e aqueles que se opõem à legalização da maconha e do aborto, seriam os mais beneficiados politicamente com a separação da Califórnia; segundo ele, se a Califórnia se separasse dos EUA, o Partido Democrata perderia seu maior apoio eleitoral, enquanto o país perderia a sua diversidade étnica

Colunista do Los Angeles Times, Conor Friedersdorf avalia que, por razões diferentes, o presidente dos EUA, Donald Trump, juntamente com a maioria dos republicanos no governo e aqueles que se opõem à legalização da maconha e do aborto, seriam os mais beneficiados politicamente com a separação da Califórnia; segundo ele, se a Califórnia se separasse dos EUA, o Partido Democrata perderia seu maior apoio eleitoral, enquanto o país perderia a sua diversidade étnica
Colunista do Los Angeles Times, Conor Friedersdorf avalia que, por razões diferentes, o presidente dos EUA, Donald Trump, juntamente com a maioria dos republicanos no governo e aqueles que se opõem à legalização da maconha e do aborto, seriam os mais beneficiados politicamente com a separação da Califórnia; segundo ele, se a Califórnia se separasse dos EUA, o Partido Democrata perderia seu maior apoio eleitoral, enquanto o país perderia a sua diversidade étnica (Foto: Leonardo Lucena)

Sputnik Brasil - O cenário hipotético da secessão do estado norte-americano da Califórnia, impulsionado pelas recentes ações dos apoiantes do Calexit, gerou um debate no país. Um colunista do Los Angeles Times apresentou sua visão das consequências do evento.

Por razões diferentes, o presidente dos EUA, Donald Trump, juntamente com a maioria dos republicanos no governo e aqueles que se opõem à legalização da maconha e do aborto, seriam os mais beneficiados politicamente com a separação da Califórnia, diz o jornalista Conor Friedersdorf.

Se o estado da Califórnia se separasse dos EUA, o Partido Democrata perderia seu maior apoio eleitoral, enquanto o país perderia a sua diversidade étnica, destaca o jornalista.

Não é em vão, enfatiza Friedersdorf, que o líder dos separatistas da Califórnia é o ex-republicano Marcus Ruiz Evans, que recusou responder se ele votou a favor de Donald Trump nas eleições, e que, no entanto, apela para a independência junto dos círculos mais progressistas da Califórnia.

"Os californianos são mais educados, mais ricos, mais liberais e valorizam mais a saúde e a educação do que o resto do país. Nossas visões sobre a educação, a ciência, a imigração, os impostos e a saúde são diferentes", diz Evans, citado pelo autor do artigo.

O site "Yes California Independence", segundo o analista, é claramente destinado a pessoas que desprezam Trump. No entanto, os inimigos do novo presidente lhe fariam um favor se abrissem o caminho para a separação da Califórnia.

"Durante décadas, a Califórnia tem exercido uma grande influência sobre a política e a cultura dos EUA, e não o contrário. A secessão não melhoraria os valores [da Califórnia]. Mas isso garantiria que o resto do país se afastaria de nossa tolerância e diversidade. Além disso, os EUA continuariam sendo nossos vizinhos, porque a realidade geográfica não muda com a independência política", diz Friedersdorf.

Enquanto isso, o autor destaca que os ativistas não percebem as consequências econômicas e ambientais da separação. Segundo ele, os partidários do Calexit se baseiam no forte sentido de "virtude pessoal" dos californianos, abusando de um desejo de "pureza ideológica".

Mas uma possível independência da Califórnia custaria caro: "A vida de milhões de californianos e norte-americanos iria piorar", adverte o autor.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247