Rafael Correa diz que esquerda avança na América Latina porque o neoliberalismo fracassou

O ex-presidente do Equador, Rafael Correa, que acaba de conquistar importante vitória política com a passagem em primeiro lugar do seu candidato à presidência, Andrés Arauz, diz que a sociedade se deu conta do fracasso do neoliberalismo

Ex-presidente do Equador Rafael Correa
Ex-presidente do Equador Rafael Correa (Foto: FRANCOIS LENOIR/REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente do Equador, Rafael Correa, que continua exercendo grande influência política no país, é um dos vitoriosos nas eleições presidenciais realizadas no último domingo​. Ele é o líder de fato da coalizão de forças que conquistou o primeiro lugar no primeiro turno e criou as condições para a vitória do seu candidato, Andrés Araus. O segundo turno será disputado em 11 de abril.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o ex-mandatário diz que há um ressurgimento da esquerda na região devido à "desilusão com o neoliberalismo". A entrevista foi concedida por videoconferência do México, onde o ex-presidente está dando uma série de palestras. 

Questionado se está decepcionado porque a eleição não foi decidida já no primeiro turno como era sua expectativa, Correa disse que sabia que isso podia acontecer. "Por culpa do atual governo, há muita descrença dos equatorianos com relação à política. Isso fez com que muitos indecisos preferissem votar em candidatos que parecem ser uma novidade, como Yaku Pérez [Pachakutik] e Xavier Hervas [Esquerda Democrática]. Isso nos tirou um pouco de votos, e teremos de disputar um segundo turno".

Correa nega que esteja decepcionado e considera o desempenho do seu candidato Andrés Arauz excelente. "Conseguir mais de 30% dos votos com um candidato que era até então desconhecido, mostra que a população nos está dando um voto de confiança e demonstrando que quer nossas políticas de volta".

O ex-mandatário critica severamente Yaku Pérez [Pachakutik] e Xavier Hervas [Esquerda Democrática]. "Esses dois não são de esquerda. A nossa é a única candidatura de esquerda desta eleição. Hervas é da esquerda democrática, mas isso fica só no nome do partido. Eles estão aliados a Moreno e querem uma reforma trabalhista que flexibilize os contratos e deixe os trabalhadores mais vulneráveis". Correa é mais rigoroso ainda na avaliação sobre o candidato que se apresenta como ecossocialista. "Yaku Pérez é de direita, está financiado pelos EUA. Essa candidatura foi criada para ser um plano B, caso Lasso não tivesse força para vencer. Não é uma candidatura de esquerda, está usando essa imagem e se vendendo como algo moderno, vanguardista, com a preocupação com o ambiente, mas isso é fachada. Pérez é tão de direita como Lasso".

Correa fala sobre a situação política na América Latina e comenta sobre o Brasil, onde a democracia foi roubada por aqueles que colocaram Lula na cadeia e deram um golpe para tirar Dilma Rousseff do poder". O ex-presidente equatoriano diz que o Brasil é "uma democracia entre aspas". Ele opina que "se Lula não tivesse sido preso, ele seria o presidente do país".

"Creio que há um ressurgimento da esquerda, sim, mas porque a sociedade se deu conta do fracasso dos governos neoliberais", enfatiza Rafael Correa.

Leia a íntegra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email