Reator nuclear boliviano entrará em atividade em 2021

Reator nuclear que está sendo construído no Centro de Tecnologia e Pesquisa Nuclear da Bolívia (NRTC) deve entrar em operação até 2021, conforme afirmação da diretora-executiva geral da Agência Boliviana de Energia Nuclear (ABEN), Hortensia Jimenez Rivera; ela destacou que a Boslívia usará a energia nuclear apenas para fins pacíficos

(Foto: Hortensia Jimenez Rivera, diretora-executiva geral da Agência Boliviana de Energia Nuclear (ABEN), diz que uso de reator será para fins pacíficos)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O reator nuclear que está sendo construído no Centro de Tecnologia e Pesquisa Nuclear da Bolívia (NRTC) deve entrar em operação até 2021.

A informação partiu de Hortensia Jimenez Rivera, diretora-executiva geral da Agência Boliviana de Energia Nuclear (ABEN), em entrevista à Sputnik nesta terça-feira (9).

Em setembro de 2017, a russa Rosatom assinou com a ABEN um contrato para a construção do reator na cidade de El Alto da Bolívia.

Rivera enfatizou que o país desenvolveria energia nuclear para usá-la apenas para fins pacíficos.

O diretor executivo geral da ABEN destacou que a Bolívia abriria três centros médicos nucleares nas cidades de La Paz, El Alto e Santa Cruz. Até 2,8 mil pacientes poderão passar por exame médico nesses centros.

O reator nuclear boliviano operará um reator de água pressurizada de 200 quilowatts.

O projeto tem custo estimado em mais de US$ 300 milhões e tem uma capacidade funcional projetada para 50 anos. Após esse período o reator pode ser modernizado para estender seu período de exploração.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247