Bolsonaro pé-frio: Netanyahu fracassa e não faz maioria na eleição em Israel

Com 91% dos votos apurados, o primeiro-ministro de Israel Banyamin Netanyahu, encontra-se em minoria, com uma cadeira (31) a menos do que seu concorrente Benny Gantz, da coalizão Kahol Lavan (Azul e Branco). A se confimar a tendência, o amigo de Bolsonaro fracassa em seu intento de continuar governando Israel à frente de uma maioria parlamentar sólida. É mais um aliado de extrema-direita que Bolsonaro perde no mundo, depois da queda de Salvini na Itália e da demissão de John Bolton nos Estados Unidos

(Foto: REUTERS/Ronen Zvulun)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com 91% dos votos apurados, o primeiro-ministro de Israel Banyamin Netanyahu, encontra-se em minoria, com uma cadeira (31) a menos do que seu concorrente Benny Gantz, da coalizão Kahol Lavan (Azul e Branco). A se confimar a tendência, o amigo de Bolsonaro fracassa em seu intento de continuar governando Israel à frente de uma maioria parlamentar sólida. É mais um aliado de extrema-direita que Bolsonaro perde no mundo, depois da queda de Salvini na Itália e da demissão de John Bolton nos Estados Unidos.

De acordo com informações do Haaretz, divulgadas na manhã desta quarta-feira (18), os resultados parciais indicam que a coalizão Kahol Lavan já tem assegurados 32 dos 120 assentos do Knesset, com o Likud atrás com 31 assentos. O bloco de Netanyahu, formado por partidos de direita e ultra-ortodoxos, atualmente ocupa 55 assentos.

O bloco do centro e centro-esquerda já conquistou 56 assentos. Analistas políticos já especulam com a hipotese de formação de um governo de "unidade" entre as prinicpais forças da direita israelense, o que aponta para crescente instabilidade.   

Para formar maioria, uma coalizão necessita de 61 cadeiras.

Os resultados apurados até agora mostram que nenhuma das partes tem um caminho claro para garantir a maioria no Knesset (Parlamento). Mas o certo é que Netanyahu, o amigo de Bolsonaro, fracassou e sai enfraquecido das eleições.   

Analistas políticos consideram que o líder direitista Avigdor Lieberman, cujo partido em Yisrael Beiteinu pode conquistar de nove a 10 assentos, será o fator fundamental para a formação do novo governo. 

Na manhã desta quarta-feira, ele reiterou seu apoio a um "amplo governo de unidade liberal", que incluiria Yisrael Beiteinu, Likud e Kahol Lavan.  

O terceiro maior partido do Knesset é a Lista Conjunta de Partidos Árabes, com 13 cadeiras. 

Em seguida vem o partido ultra-ortodoxo Shas, que tem nove cadeiras e o Judaísmo da Torá Unida, que tem oito cadeiras. Yamina, de Ayelet Shaked, recebe sete cadeiras, indicam os resultados

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247