Bolsonaro pé-frio: Netanyahu fracassa e não faz maioria na eleição em Israel

Com 91% dos votos apurados, o primeiro-ministro de Israel Banyamin Netanyahu, encontra-se em minoria, com uma cadeira (31) a menos do que seu concorrente Benny Gantz, da coalizão Kahol Lavan (Azul e Branco). A se confimar a tendência, o amigo de Bolsonaro fracassa em seu intento de continuar governando Israel à frente de uma maioria parlamentar sólida. É mais um aliado de extrema-direita que Bolsonaro perde no mundo, depois da queda de Salvini na Itália e da demissão de John Bolton nos Estados Unidos

(Foto: REUTERS/Ronen Zvulun)

247 - Com 91% dos votos apurados, o primeiro-ministro de Israel Banyamin Netanyahu, encontra-se em minoria, com uma cadeira (31) a menos do que seu concorrente Benny Gantz, da coalizão Kahol Lavan (Azul e Branco). A se confimar a tendência, o amigo de Bolsonaro fracassa em seu intento de continuar governando Israel à frente de uma maioria parlamentar sólida. É mais um aliado de extrema-direita que Bolsonaro perde no mundo, depois da queda de Salvini na Itália e da demissão de John Bolton nos Estados Unidos.

De acordo com informações do Haaretz, divulgadas na manhã desta quarta-feira (18), os resultados parciais indicam que a coalizão Kahol Lavan já tem assegurados 32 dos 120 assentos do Knesset, com o Likud atrás com 31 assentos. O bloco de Netanyahu, formado por partidos de direita e ultra-ortodoxos, atualmente ocupa 55 assentos.

O bloco do centro e centro-esquerda já conquistou 56 assentos. Analistas políticos já especulam com a hipotese de formação de um governo de "unidade" entre as prinicpais forças da direita israelense, o que aponta para crescente instabilidade.   

Para formar maioria, uma coalizão necessita de 61 cadeiras.

Os resultados apurados até agora mostram que nenhuma das partes tem um caminho claro para garantir a maioria no Knesset (Parlamento). Mas o certo é que Netanyahu, o amigo de Bolsonaro, fracassou e sai enfraquecido das eleições.   

Analistas políticos consideram que o líder direitista Avigdor Lieberman, cujo partido em Yisrael Beiteinu pode conquistar de nove a 10 assentos, será o fator fundamental para a formação do novo governo. 

Na manhã desta quarta-feira, ele reiterou seu apoio a um "amplo governo de unidade liberal", que incluiria Yisrael Beiteinu, Likud e Kahol Lavan.  

O terceiro maior partido do Knesset é a Lista Conjunta de Partidos Árabes, com 13 cadeiras. 

Em seguida vem o partido ultra-ortodoxo Shas, que tem nove cadeiras e o Judaísmo da Torá Unida, que tem oito cadeiras. Yamina, de Ayelet Shaked, recebe sete cadeiras, indicam os resultados

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247