Rússia acusa Estados Unidos de treinar grupos terroristas na Síria

A Rússia acusou nesta segunda-feira (29) os Estados Unidos de formar e treinar novos grupos terroristas com a tarefa de destruir a infraestrutura de hidrocarbonetos da Síria e atacar as tropas do governo daquele país

(Foto: Prensa Latina)

Prensa Latina - A Rússia acusou nesta segunda-feira (29) os Estados Unidos de formar e treinar novos grupos terroristas com a tarefa de destruir a infraestrutura de hidrocarbonetos da Síria e atacar as tropas do governo daquele país.  

A existência de tais grupos foi constatada em aldeias nas províncias sírias de Es-Subeida, Palmira e Abu-Kemal, confirmou o o chefe da Diretoria Operacional Principal do Estado Maior Russo, Coronel-General Serguei Rudskoi.   

De acordo com Rudskoi, na zona de 55 quilômetros ao redor da base ilegal norte-americana, na cidade síria de Et-Tanf, os instrutores do Pentágono treinam cerca de 2.700 membros do grupo armado Magavir as-Saura.  Eles formam pequenos grupos do chamado Exército das Tribos Árabes, explicou o general russo.  

Rudskoi denunciou que as informações obtidas através de canais seguros ratificam o uso de helicópteros da força aérea dos EUA para levar extremistas a áreas de resistência terrorista, perto do rio Eufrates.  

Nessa região, os Estados Unidos mantêm um fornecimento permanente de armamentos para a formação de grupos extremistas, disse ele.  Além disso, os sabotadores mais treinados são enviados para áreas sob o controle do governo sírio para criar situações de desestabilização, disse o oficial russo.  

Os Estados Unidos, com o dinheiro obtido pelo contrabando de petróleo que eles roubam na Síria, compram armas para entregar, tanto para formações curdas quanto árabes, que eles usam uns contra os outros, disse Rudskoi.  

Tal prática só contribui para aumentar as tensões em uma área devastada pela guerra, disse o oficial.  Várias estruturas norte-americanas se dedicam a organizar a extração e a venda ilegais de hidrocarbonetos sírios, que praticamente substituíram o movimento terrorista Estado Islâmico nesse contrabando, disseram as forças armadas russas.

Estima-se que cerca de 3.500 mercenários norte-americanos acompanhem as estruturas privadas envolvidas na extração ilegal e venda de hidrocarbonetos nas instalações sírias de Kanako, El-Omar e Tanak, denunciou o coronel-general russo.  

Por outro lado, os grupos de sabotagem preparados por Washington realizaram cerca de 300 ataques em junho e julho, com um saldo de 225 soldados e 65 civis mortos, além de 240 homens uniformizados e mais de 100 civis feridos, acrescentou o oficial.   

Os Estados Unidos também retêm cerca de 75 mil pessoas no campo de refugiados de El-Hall, em condições comparáveis ​​a um campo de concentração, disse ele.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247