Rússia adverte para perigo de provocação na fronteira da Venezuela

A Rússia denunciou nesta quinta-feira (14) os preparativos para uma provocação nas fronteiras com a Venezuela, com possíveis vítimas, para justificar uma eventual agressão estrangeira contra o país sul-americano; sob o pretexto de fazer passar um comboio com "ajuda humanitária", prepara-se uma provocação, inclusive com vítimas, declarou a porta-voz da Chancelaria russa, María Zaharova; "Fazem isto para justificar uma ação bélica desde o exterior", sublinhou

Rússia adverte para perigo de provocação na fronteira da Venezuela
Rússia adverte para perigo de provocação na fronteira da Venezuela
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Prensa Latina - A Rússia denunciou nesta quinta-feira (14) os preparativos para uma provocação nas fronteiras com a Venezuela, com possíveis vítimas, para justificar uma eventual agressão estrangeira contra o país sul-americano.

Sob o pretexto de fazer passar um comboio com "ajuda humanitária", prepara-se uma provocação, inclusive com vítimas, declarou a porta-voz da Chancelaria russa, María Zaharova. Fazem isto para justificar uma ação bélica desde o exterior, sublinhou.

Consideramos totalmente necessário evitar qualquer passo ou declaração que possa provocar uma escalada de tensões na Venezuela, inclusive qualquer chamado às forças armadas desse país para envolvê-las em uma confrontação civil, afirmou.

A Rússia insiste em afirmar que a tarefa da comunidade internacional é facilitar a busca de um entendimento entre as diferentes forças na Venezuela, assinalou a porta-voz.

Zaharova reiterou a disposição de Moscou para ajudar em um diálogo sobre a situação na Venezuela com todas as partes e de acordo com as normas do direito internacional.

"Nós apoiamos os mais amplos contatos no caso venezuelano e constantemente explicamos nossa posição, inclusive nos encontros com os Estados Unidos, declarou a diplomata russa.

Ao comentar uma recente conversação telefônica do ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, com o secretário norte-americano de Estado, Mike Pompeo, Zaharova indicou que era necessário conhecer quais as intenções de Washington a respeito da Rússia no caso da Venezuela.

Se pretendem levar-nos a uma mudança de posição, isso dificilmente poderá acontecer, pois nossa posição não se baseia em absoluto em concepções conjunturais, disse a porta-voz.

A Rússia se pronuncia pelo respeito ao direito internacional e à soberania dos Estados nacionais, no marco da Carta da ONU, disse a diplomata.

Nesse contexto, estamos dispostos ao diálogo com todas as partes, inclusive os Estados Unidos, afirmou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247