Rússia: atribuir arma química à Síria é "erro trágico"

"Nós recomendamos fortemente que aqueles, ao tentar impor sua opinião de especialistas à frente dos resultados de uma investigação da ONU, ... não cometam erros trágicos", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia; governo de Vladimir Putin condena precipitação

"Nós recomendamos fortemente que aqueles, ao tentar impor sua opinião de especialistas à frente dos resultados de uma investigação da ONU, ... não cometam erros trágicos", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia; governo de Vladimir Putin condena precipitação
"Nós recomendamos fortemente que aqueles, ao tentar impor sua opinião de especialistas à frente dos resultados de uma investigação da ONU, ... não cometam erros trágicos", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia; governo de Vladimir Putin condena precipitação (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

MOSCOU, 25 Ago (Reuters) - A Rússia afirmou neste domingo que atribuir culpa antecipadamente pelo suposto ataque de armas químicas na Síria seria um "erro trágico".

"Nós recomendamos fortemente que aqueles, ao tentar impor sua opinião de especialistas à frente dos resultados de uma investigação da ONU, ... não cometam erros trágicos", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia em comunicado.

O Ministério das Relações Exteriores da Síria informou que permitiu acesso aos inspetores da ONU aos locais onde ocorreram os ataques com gás nervoso.

Uma autoridade do governo norte-americano disse à Reuters que se a Síria não quisesse esconder fatos, não teria dado acesso aos locais cinco dias após o ataque. "Baseado no número de vítimas informados, em sintomas relatados daqueles que foram mortos ou feridos, em declarações de testemunhas e outros dados recolhidos por fontes abertas, a comunidade de inteligência dos EUA e os parceiros internacionais têm poucas dúvidas, no momento, de que arma química foi utilizada pelo regime sírio contra os civis neste incidente."

A Organização das Nações Unidas informou que os inspetores vão iniciar a visita aos locais onde ocorreram os ataques químicos na segunda-feira.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse, em comunicado, que a Síria prometeu garantir um cessar fogo nos locais do subúrbio de Damasco.

(Reportagem de Alissa de Carbonnel)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email