Rússia critica 'alianças artificiais' que os EUA querem impor ao mundo

O chanceler da Rússia, Serguei Lavrov, critica os Estados Unidos por quererem impor alianças artificiais no mundo, em particular no Oriente Médio; em sua intervenção nesta segunda-feira (25) na conferência do clube de debates Valdái na cidade vietnamita de Ho Chi Minh, Lavrov denunciou "a chamada Aliança Estratégica do Oriente Médio (Mesa, na sigla em inglês), uma espécie de Otan para o Oriente Médio que a Administração Trump está tentando impor aos países do Golfo Pérsico, mais a Jordânia e o Egito, apesar dos receios muito fortes por parte dos membros potenciais"

Rússia critica 'alianças artificiais' que os EUA querem impor ao mundo
Rússia critica 'alianças artificiais' que os EUA querem impor ao mundo
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com HispanTV - O chanceler da Rússia, Serguei Lavrov, critica os Estados Unidos por quererem impor alianças artificiais no mundo, em particular no Oriente Médio.

Em sua intervenção nesta segunda-feira (25) na conferência do clube de debates Valdái na cidade vietnamita de Ho Chi Minh, Lavrov denunciou "a chamada Aliança Estratégica do Oriente Médio (MESA, na sigla em inglês), uma espécie de Otan para o Oriente Médio que a Administração Trump está tentando impor aos países do Golfo Pérsico, mais a Jordânia e o Egito, apesar dos receios muito fortes por parte dos membros potenciais".

Em julho do ano passado, a agência britânica Reuters, citando fontes árabes e norte-americanas, revelou que o governo dos Estados Unidos, presidido por Donald Trump, estava tratando de instituir uma 'Otan árabe' para se contrapor a umasuposta "expansão do Irã" na região.

O chefe da diplomacia russa, do mesmo modo, criticou Washington por tentar criar, junto a Japón e Austrália, outra aliança artificial, esta na região Indo-Pacífico, "claramente em um contexto de contenção da China".

Desde que começou seu mandato, o presidente estadunidense impulsionou "uma nova ordem liberal" no mundo com o propósito de frear a China, o Irã e a Rússia, disse em dezembro o secretário de Estado estadunidense, Mike Pompeo, instaba as organizações internacionais a cooperar com Washington em seu plano.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247