Saída do Afeganistão dependerá dos níveis de violência, diz OTAN

O Talibã deve fazer mais para cumprir os termos do acordo de paz de 2020 com os EUA para permitir a retirada de tropas estrangeiras do Afeganistão até maio, disse o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg

Jens Stoltenberg
Jens Stoltenberg
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - O Talibã deve fazer mais para cumprir os termos do acordo de paz de 2020 com os Estados Unidos para permitir a retirada de tropas estrangeiras do Afeganistão até maio, disse hoje (15) o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg.

Os ministros da Defesa dos países aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) discutirão no final desta semana se o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) está cumprindo o acordo de paz, que pede aos militantes que reprimam os ataques e que as tropas estrangeiras se retirem até 1º de maio.

"Vemos que ainda é necessário que o Talibã faça mais no que diz respeito a cumprir seus compromissos [...] para se certificar de que romperá todos os laços com os terroristas internacionais", disse Stoltenberg, citado pela agência Reuters.

Os ataques recentes ocorridos no Afeganistão, incluindo uma bomba que matou o vice-governador da capital Cabul em dezembro, levaram membros do Congresso dos EUA e grupos de direitos internacionais a pedirem o adiamento da retirada estabelecida em acordo firmado durante a administração do ex-presidente Donald Trump.

Ao vivo: conferência de imprensa pré-ministerial prevendo dois dias de reuniões on-line da OTAN e dos ministros da Defesa da aliança.

A OTAN possui 9.600 soldados no Afeganistão, incluindo 2.500 americanos, que participam em missões de treinamento e auxílio às forças afegãs.

Muitos temem que o progresso durante duas décadas de intervenção estrangeira no Afeganistão se desfaça rapidamente, ameaçando ganhos em áreas que vão dos direitos das mulheres à democracia. Os legisladores dos EUA alertaram que a retirada de todas as tropas pode levar a uma guerra civil.

A reunião dos ministros da Defesa desta semana, que acontecerá por videoconferência na quarta (17) e na quinta-feira (18), foi inicialmente definida para decidir se a retirada das tropas deve prosseguir. A administração do novo presidente dos EUA, Joe Biden, enfrenta apelos para buscar um adiamento de seis meses.

Segundo a Reuters, quatro funcionários do alto escalão da OTAN disseram em 31 de janeiro que as tropas internacionais permaneceriam além do prazo de maio, apesar dos pedidos do Talibã por uma retirada total.

"Nosso objetivo comum é claro: o Afeganistão nunca mais deve servir como um refúgio para terroristas atacarem nossa terra natal", disse Stoltenberg. "Embora nenhum aliado queira ficar no Afeganistão mais tempo do que o necessário, não partiremos antes da hora certa", acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email