Satélite americano fotografou cidade russa de Belgorod três dias antes de ataque ucraniano

O Ministério da Defesa da Rússia informou que, nas primeiras horas deste domingo (3), tropas ucranianas atacaram a cidade russa de Belgorod com três mísseis Tochka-U

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters/Ag. Brasil)


Sputnik - O satélite comercial americano GeoEye-1, da empresa Maxar Technologies, captou imagens de Belgorod três dias antes do ataque com mísseis ucranianos à cidade, na madrugada deste domingo (3).

A cidade foi fotografada pelo satélite em 30 de junho, enquanto outros satélites americanos, o WorldView-2 e o WorldView-3, capturaram imagens da região de Belgorod nos dias 20, 22 e 27 de junho.

O Ministério da Defesa da Rússia informou que, nas primeiras horas deste domingo (3), tropas ucranianas atacaram a cidade russa de Belgorod com três mísseis Tochka-U, equipados com ogivas de fragmentação. As forças de defesa aérea russas destruíram todos os três mísseis no ar, mas os restos de um deles caíram em um prédio residencial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o governador da região, Viacheslav Gladkov, quatro pessoas morreram e quatro outras, incluindo uma criança, ficaram feridas, enquanto 21 blocos de apartamentos e 40 casas foram atingidos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Satélites comerciais dos EUA também fotografaram a Ilha da Cobra, localizada no mar Negro, dias antes da tentativa da Ucrânia de tomá-la com ataques e desembarques.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o satélite americano WorldView-1 fotografou a refinaria de Novoshajtinsk, na província russa de Rostov-on-Don, três dias antes de um ataque.

Os satélites também captaram imagens áreas das plataformas de perfuração de Chornomorneftegaz, no mar Negro, uma semana antes de as forças ucranianas atacarem as instalações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No final de junho, o diretor-geral da empresa espacial russa Roscosmos, Dmitri Rogozin, afirmou que operadoras privadas de satélites ocidentais, incluindo Maxar, juntamente com as estatais, estão transmitindo dados para a Ucrânia.

Segundo Rogozin, essas empresas geram dados específicos para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que são repassados ​​aos militares ucranianos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email