Secretário uruguaio que ajudaria a Lava Jato é encontrado morto

O corpo de Carlos Díaz foi encontrado boiando em uma piscina de Punta Del Este na noite deste sábado; a polícia trabalha com a hipótese de ataque cardíaco; ele havia se tornado o elo principal entre Brasil e Uruguai nas investigações conjuntas contra a corrupção no âmbito da Lava Jato

O corpo de Carlos Díaz foi encontrado boiando em uma piscina de Punta Del Este na noite deste sábado; a polícia trabalha com a hipótese de ataque cardíaco; ele havia se tornado o elo principal entre Brasil e Uruguai nas investigações conjuntas contra a corrupção no âmbito da Lava Jato
O corpo de Carlos Díaz foi encontrado boiando em uma piscina de Punta Del Este na noite deste sábado; a polícia trabalha com a hipótese de ataque cardíaco; ele havia se tornado o elo principal entre Brasil e Uruguai nas investigações conjuntas contra a corrupção no âmbito da Lava Jato (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Secretário Nacional de Luta contra a Lavagem de Dinheiro do Uruguai, Carlos Díaz, foi encontrado morte na noite deste sábado 25. O corpo foi encontrado boiando em uma piscina em Punta Del Este.

A polícia trabalha com a hipótese de ataque cardíaco. O caso gerou grande repercussão porque Díaz havia se tornado o elo principal entre Brasil e Uruguai nas investigações conjuntas contra a corrupção no âmbito da Lava Jato.

Ele é autor de um projeto de lei sobre lavagem de dinheiro considerado essencial pelo atual governo uruguaio, de Tabaré Vázquez, na luta contra a corrupção. Em entrevista ao jornal O Globo na última quinta-feira, Díaz afirmou que estava disposto a ceder instalações e informações do órgão que dirigia a investigadores brasileiros que apuram crimes de lavagem utilizando esquemas no país vizinho, em um parceria inédita com o Brasil.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247