Sem medo de sanções, Putin decreta Crimeia soberana

Reconhecimento oficial acontece um dia depois de 96,6% da população da Crimeia votar pela anexação à Rússia em referendo; decreto assinado pelo presidente Vladimir Putin, segundo agências de notícias do país, indica primeiro passo para a integração; texto afirma que reconhecimento é baseado "na vontade do povo da Crimeia" e começa a valer imediatamente; em meio à crise, União Europeia e Estados Unidos anunciaram sanções contra Ucrânia e Rússia

Reconhecimento oficial acontece um dia depois de 96,6% da população da Crimeia votar pela anexação à Rússia em referendo; decreto assinado pelo presidente Vladimir Putin, segundo agências de notícias do país, indica primeiro passo para a integração; texto afirma que reconhecimento é baseado "na vontade do povo da Crimeia" e começa a valer imediatamente; em meio à crise, União Europeia e Estados Unidos anunciaram sanções contra Ucrânia e Rússia
Reconhecimento oficial acontece um dia depois de 96,6% da população da Crimeia votar pela anexação à Rússia em referendo; decreto assinado pelo presidente Vladimir Putin, segundo agências de notícias do país, indica primeiro passo para a integração; texto afirma que reconhecimento é baseado "na vontade do povo da Crimeia" e começa a valer imediatamente; em meio à crise, União Europeia e Estados Unidos anunciaram sanções contra Ucrânia e Rússia (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Reuters - O presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto nesta segunda-feira reconhecendo a Crimeia como um Estado soberano, depois que a região ucraniana se declarou independente e escolheu fazer parte da Rússia em um referendo no fim de semana.

O decreto publicado na página do Kremlin na Internet pareceu ser o primeiro passo para a integração da Crimeia à Federação Russa.

O decreto, que entra em vigor imediatamente, diz que o reconhecimento russo da Crimeia como um Estado independente é baseado no "desejo do povo da Crimeia".

Os líderes da Crimeia declararam um resultado ao estilo soviético de 97 por cento em favor da separação da Ucrânia em uma votação considerada ilegal por Kiev e pelo Ocidente.

O Parlamento da Crimeia propôs formalmente que a Rússia "admita a República da Crimeia como um novo ator com status de República". Putin falará sobre o assunto em uma sessão conjunta do Parlamento russo na terça-feira.

O presidente Barack Obama disse nesta segunda-feira que os EUA estão prontos para impor mais sanções à Rússia pela incursão do país na região ucraniana da Crimeia, mas que ainda há meios para resolver a crise diplomaticamente. Entre as sanções estão a proibição de viagens e o bloqueio de bens nos Estados Unidos.

Após o anúncio das sanções, o vice-primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Rogozin, ironizou a decisão da Casa Branca. "Camarada Obama: o que o senhor vai fazer contra aqueles que não têm contas ou propriedades no exterior? Ou o senhor não pensou nisso?", escreveu no Twitter.

Na avaliação do último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev, o resultado do referendo corrige um "erro histórico". "Se antes a Crimeia foi incorporada à Ucrânia conforme as leis soviéticas, ou seja, segundo as leis do Partido (Comunista da URSS), sem perguntar ao povo, desta vez o povo corrigiu aquele erro", declarou ele nesta segunda-feira (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email