Senado americano conclui que 'interferência russa' não alterou resultado das eleições

O chefe do Comitê de Inteligência dos EUA, Richard Burr, disse que a investigação sobre a tentativa da Rússia de interferir na eleição presidencial dos EUA de 2016 não apresentou conclusão definitiva; no entanto, nenhum total de votos foi afetado; "Não chegamos a nenhuma determinação sobre a colaboração ou as preferências da Rússia", disse o senador Richard Burr

O chefe do Comitê de Inteligência dos EUA, Richard Burr, disse que a investigação sobre a tentativa da Rússia de interferir na eleição presidencial dos EUA de 2016 não apresentou conclusão definitiva; no entanto, nenhum total de votos foi afetado; "Não chegamos a nenhuma determinação sobre a colaboração ou as preferências da Rússia", disse o senador Richard Burr
O chefe do Comitê de Inteligência dos EUA, Richard Burr, disse que a investigação sobre a tentativa da Rússia de interferir na eleição presidencial dos EUA de 2016 não apresentou conclusão definitiva; no entanto, nenhum total de votos foi afetado; "Não chegamos a nenhuma determinação sobre a colaboração ou as preferências da Rússia", disse o senador Richard Burr (Foto: Aquiles Lins)

Sputnik Brasil - O chefe do Comitê de Inteligência dos EUA, Richard Burr, disse que a investigação sobre a tentativa da Rússia de interferir na eleição presidencial dos EUA de 2016 não apresentou conclusão definitiva. No entanto, nenhum total de votos foi afetado.

A investigação do Comitê de Inteligência do Senado dos EUA sobre a possível interferência russa na eleição presidencial de 2016 ainda não chegou a uma conclusão sobre se houve alguma colaboração entre a campanha do presidente dos EUA, Donald Trump e a Rússia, disse em uma reunião na quarta-feira o chefe do comitê, senador Richard Burr.

"Não chegamos a nenhuma determinação sobre a colaboração ou as preferências da Rússia", disse Burr.

Burr também disse que o comitê não tem nenhuma descoberta inicial sobre se a campanha Trump trabalhou com a Rússia.

Washington acusou a Rússia de intrometer-se nas eleições de 8 de novembro, com investigadores do Congresso dos EUA lançando uma sondagem sobre alegada interferência. A Rússia disse repetidamente que não interfere nos assuntos de outros países. Funcionários russos chamaram as alegações dos EUA de eleições de "tentativa de desviar a atenção pública de casos reais de fraude eleitoral revelada e corrupção".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247