Sindicalista francês exige fim do bloqueio dos EUA contra Cuba

O sindicalista francês Cédric Quintin, dirigente da Confederação Geral do Trabalho (CGT), assinalou que é importante a pressão no França e no mundo para conseguir o fim do cerco vigente há 60 anos, recrudescido com mais de 200 medidas por Donald Trump

Sindicalista francês Cédric Quintin
Sindicalista francês Cédric Quintin (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Prensa Latina - O sindicalista francês Cédric Quintin demandou o levantamento imediato e sem condições do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto por Estados Unidos a Cuba, política que considerou merecedora do repudio internacional.

Em declarações a Imprensa Latina, o dirigente da Confederação Geral do Trabalho (CGT) assinalou que é importante a pressão na França e no mundo para conseguir o fim do cerco vigente há 60 anos, recrudescido com mais de 200 medidas pelo agora expresidente Donald Trump.

A chegada de Joe Biden à Casa Branca deveria significar uma mudança desta política, considerou o secretário geral da União Departamental de Vale do Marne.

Quintin participou no final do mês passado em um ato de solidariedade com a ilha nas imediações da torre Eiffel desta capital, onde organizações de diversos setores cumprimentaram o aniversário 62 do triunfo da Revolução Cubana e exigiram o cesse do bloqueio estadunidense.

O sindicalista fez questão da necessidade de aumentar a pressão no reclamo do fim da hostilidade para Cuba e assegurou que se realizarão novas ações nesse sentido.

Quintin somou-se à petição de entregar o prêmio Nobel da Paz-2021 às brigadas médicas cubanas Henry Reeve por sua contribua ao confronto global à pandemia da Covid-19.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email