Socialista Morena: Trump puniu os coxinhas venezuelanos

"Em princípio, o endurecimento das fronteiras estadunidenses aos habitantes do país sul-americano teria como foco os diplomatas e funcionários, mas o restante da população também será alvo de um controle maior. Ou seja, para atingir Nicolás Maduro, Trump penalizou os coxinhas venezuelanos, que agora terão dificultadas suas idas a Miami", diz a jornalista Cynara Menezes, a socialista morena

"Em princípio, o endurecimento das fronteiras estadunidenses aos habitantes do país sul-americano teria como foco os diplomatas e funcionários, mas o restante da população também será alvo de um controle maior. Ou seja, para atingir Nicolás Maduro, Trump penalizou os coxinhas venezuelanos, que agora terão dificultadas suas idas a Miami", diz a jornalista Cynara Menezes, a socialista morena
"Em princípio, o endurecimento das fronteiras estadunidenses aos habitantes do país sul-americano teria como foco os diplomatas e funcionários, mas o restante da população também será alvo de um controle maior. Ou seja, para atingir Nicolás Maduro, Trump penalizou os coxinhas venezuelanos, que agora terão dificultadas suas idas a Miami", diz a jornalista Cynara Menezes, a socialista morena (Foto: Leonardo Attuch)

Do blog Socialista Morena O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu substituir o polêmico veto migratório a seis países de maioria muçulmana, que expirou hoje, por um decreto que impõe restrições a oito nações, entre elas a Venezuela. Em princípio, o endurecimento das fronteiras estadunidenses aos habitantes do país sul-americano teria como foco os diplomatas e funcionários, mas o restante da população também será alvo de um controle maior. Ou seja, para atingir Nicolás Maduro, Trump penalizou os coxinhas venezuelanos, que agora terão dificultadas suas idas a Miami.

Os outros países na “lista negra” do presidente norte-americano são: Chade, Irã, Líbia, Síria, Somália, Iêmen e, claro, Coreia do Norte. De acordo com o texto, o problema com a Venezuela é que “seu governo não coopera em checar se seus cidadãos representam ameaça para a segurança nacional ou para a segurança pública”, o que não parece ser verdade, já que o próprio decreto admite que o país cumpre com as exigências internacionais. Sobrou para as classes mais abastadas, justamente os maiores adversários de Maduro -os “esquálidos”, como dizia Hugo Chávez. Na semana passada, na Assembleia-Geral da ONU, Trump já tinha se referido ao governo Maduro como “ditadura socialista”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247