Talibã autoriza homens a praticar esportes, mas mulheres são excluídas

O direito ainda não foi estendido às mulheres do país para realizar qualquer atividade esportiva em público

Jogadoras de Herat, no Afeganistão, retratadas no documentário 'Herat Football Club'
Jogadoras de Herat, no Afeganistão, retratadas no documentário 'Herat Football Club' (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

Metrópoles - Do futebol à natação, passando pelo atletismo e hipismo. Em Cabul, o novo diretor de esportes do Talibã, Bashir Ahmad Rustamzai, anunciou nesta quarta-feira (15/9) que todos os homens do Afeganistão estão autorizados a praticar “até 400 esportes”. No entanto, o direito ainda não foi estendido às mulheres do país para realizar qualquer atividade esportiva em público.

Segundo Rustamzai, a única exigência é que todos os esportes “sejam praticados de acordo com a lei islâmica”, o que representa poucos problemas para os homens. Para cumprir com a sharia — conjunto de leis islâmicas baseadas no Alcorão —, eles precisam apenas cobrir os joelhos. Isso vale para todos os esportes, incluindo o futebol.

Governos do ocidente esperam uma mudança por parte do grupo em relação ao assunto. Algumas declarações, porém, geram sérias dúvidas. Há uma semana, o funcionário talibã Ahmadullah Wasiq disse ao jornal australiano SBS que o governo não deve permitir que as mulheres joguem críquete, se estiverem expostas ao público.

PUBLICIDADE

Leia a íntegra no Metrópoles

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email