Taliban pede urgência em socorro a vítimas de terremoto

O grupo radical islâmico Taliban pediu pressa às agências de ajuda que apressem a entrega de suprimentos de emergência para as vítimas do terremoto que atingiu as regiões montanhosas remotas do norte do Afeganistão e Paquistão, matando pelo menos 300 pessoas; "O Emirado Islâmico exorta os nossos bons compatriotas e organizações beneficentes a não demorarem no fornecimento de abrigo, comida e suprimentos médicos para as vítimas deste terremoto", disse o Taliban por meio de nota; "E ordena igualmente a seus combatentes nas áreas afetadas que provenham o máximo de ajuda", completou

Crianças em meio a destroços após terremoto em Jalalabad, Afeganistão. 27/10/2015 REUTERS/Parwiz
Crianças em meio a destroços após terremoto em Jalalabad, Afeganistão. 27/10/2015 REUTERS/Parwiz (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O Taliban exortou as agências de ajuda nesta terça-feira a avançar na entrega de suprimentos de emergência para as vítimas do terremoto que atingiu as regiões montanhosas remotas do norte do Afeganistão e Paquistão, matando pelo menos 300 pessoas.

Com o rigoroso inverno se impondo na região das montanhas Hindu Kush, epicentro do terremoto, a situação das milhares de pessoas que ficaram desabrigadas está se tornando cada vez mais grave.

"O Emirado Islâmico exorta os nossos bons compatriotas e organizações beneficentes a não demorarem no fornecimento de abrigo, comida e suprimentos médicos para as vítimas deste terremoto", disse o Taliban em uma mensagem de condolências às vítimas, usando seu nome formal. "E ordena igualmente a seus combatentes nas áreas afetadas que provenham o máximo de ajuda."

No entanto, o esforço de socorro está sendo complicado pela instabilidade decorrente da insurgência do Taliban, já que boa parte da zona afetada é insegura para as organizações internacionais e as tropas do governo.

"A comida e outros itens de ajuda são insuficientes", disse Abdul Habib Sayed Khil, chefe da polícia de Kunar, uma das províncias mais atingidas, onde foi confirmada a morte de 42 pessoas. "Está chovendo há quatro dias e o clima está muito frio. Se não providenciarmos ajuda muito em breve, isso pode virar um desastre."

Em consequência do sismo, estradas e comunicações estão interrompidas em muitas áreas e as autoridades e organizações humanitárias internacionais ainda estavam tentando avaliar a extensão dos danos.

No Paquistão, onde deslizamentos de terra e fortes chuvas e neve no fim de semana já haviam deixado milhares de turistas retidos em áreas montanhosas do norte, os militares do país, que são bem-equipados, estão fortemente envolvidos nos esforços de socorro.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247