Terremoto mata 156 na China e fere 5,5 mil

O terremoto, o pior da China em três anos, ocorreu às 8:02 (horário local, 21:02 em Brasília) no condado de Lushan, perto da cidade de Ya'na. O epicentro teve uma profundidade de 12 quilômetros, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos

Terremoto mata 156 na China e fere 5,5 mil
Terremoto mata 156 na China e fere 5,5 mil
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Ben Blanchard

PEQUIM, 20 Abr (Reuters) - Um forte terremoto de magnitude 6,6 atingiu neste sábado uma remota, rural e montanhosa região na provincial de Sichuan, na China, matando pelo menos 156 pessoas e ferindo cerca de 5.500, perto de onde um grande terremoto deixou mais de 70 mil mortos em 2008.

O terremoto, o pior da China em três anos, ocorreu às 8:02 (horário local, 21:02 em Brasília) no condado de Lushan, perto da cidade de Ya'na. O epicentro teve uma profundidade de 12 quilômetros, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

O terremoto foi sentido por residentes das províncias vizinhas e na capital de Sichuan, Chengdu, fazendo muitas pessoas correrem para as ruas, de acordo com relatos do serviço de rede social Sina Weibo, equivalente ao Twitter.

A imprensa estatal disse que 156 pessoas morreram e mais de 5.500 estão feridas.

O presidente do país, Xi Jinping, e o premiê, Li Keqiang, disseram que todos os esforços devem ser destacados para resgatar as vítimas e limitar o número de mortos.

De acordo com a agência de notícias Xinhua, depois de chegar à zona do desastre por helicóptero, Li comandou os esforços de ajuda de uma praça no distrito municipal de Longmen, em Lushan.

"O mais urgente agora é aproveitar as primeiras 24 horas depois do terremoto, o momento mais importante para salvar vidas", disse Li à agência Xinhua.

Equipes de resgate de Xinhua retiraram 32 sobreviventes dos escombros, informou a Xinhua. Em vilarejos próximos ao epicentro, quase todas as casas baixas e edifícios desabaram, de acordo com imagens mostradas na televisão estatal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247