Thomas Barrack, amigo de Trump que tentou comprar a Oi, é preso por fazer lobby em favor dos Emirados Árabes

Barrack tentou comprar a Oi em leilão em 2020, mas acabou superado por um consórcio das operadoras TIM, Vivo e Claro. Sua empresa planeja agora disputar o leilão do 5G no Brasil

www.brasil247.com - Thomas Barrack
Thomas Barrack (Foto: Reuters/Lucy Nicholson)


247 - O empresário e investidor Thomas Barrack, que já foi um dos melhores amigos do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, segundo o jornal O Globo, foi preso nesta terça-feira (20) em Los Angeles sob a acusação de fazer lobby junto a Trump em favor dos Emirados Árabes Unidos.

Na segunda-feira (26) Barrack passará por uma audiência na Justiça. Até lá, ele permanece detido.

Bilionário, Barrack fez fortuna com a Colony Capital, gestora especializada em ativos imobiliários pelo mundo. Nos últimos anos, o investidor tem concentrado seu capital em infraestrutura digital por meio da subsidiária Digital Colony, rebatizada como DigitalBridge.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2020, a Digital Colony tentou comprar a Oi por R$ 15 milhões por meio da Highline do Brasil, empresa de torres de telefonia absorvida pelo grupo de Barrack em 2019. Venceu o leilão, no entanto, o consórcio de operadoras TIM, Vivo e Claro. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outra tentativa foi comprar a Infraco, empresa de fibra ótica da Oi, também por meio da Highline, mas o BTG acabou arrematando o ativo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Recentemente, a Highline de Barrack conseguiu comprar as torres da Oi por R$ 1 bilhão e, de acordo com o Estado de S. Paulo, negocia a formação de um consórcio com provedores regionais para disputar o leilão do 5G no Brasil. 

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email