Trump ataca legislador afro-americano e volta a ser acusado de racismo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a ser acusado de racismo neste sábado (27) depois de atacar um legislador afro-americano e chamar a cidade de Baltimore, de maioria negra, de um "desastre repugnante"

(Foto: REUTERS/Kevin Lamarque)

AFP - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a ser acusado de racismo neste sábado depois de atacar um proeminente legislador afro-americano e chamar a cidade de Baltimore, de maioria negra, de um "desastre repugnante".

Trump fez essas declarações em uma série de tuites dirigidos ao representante democrata Elijah Cummings, um forte crítico do governo republicano, cujo distrito cobre grande parte de Baltimore.

"O Distrito de Cumming (sic) é um desastre repugnante, infestado de ratos e roedores", escreveu o presidente, chamando-o de "o pior e mais perigoso" do país.

"Nenhum ser humano gostaria de viver lá", disse ele, em um ataque aparentemente provocado pelas críticas de Cummings às duras condições enfrentadas por requerentes de asilo na fronteira mexicana.

"Cummings tem sido um valentão brutal, gritando com os grandes homens e mulheres da Patrulha da Fronteira sobre as condições na fronteira sul, quando na verdade o distrito de Baltimore é MUITO PIOR e mais perigoso", acusou Trump.

As declarações do presidente provocaram uma tempestade de críticas, menos de duas semanas após a Câmara de Representantes condená-lo por comentários "racistas" dirigidos a um parlamentar nascido na Somália.

Nancy Pelosi, presidente democrata da Câmara de Representantes cujo pai foi prefeito de Baltimore, acusou Trump de ter cometido um ataque "racista".

"@RepCummings é um campeão no Congresso e no país pelos direitos civis e justiça econômica, um líder amado em Baltimore e um colega muito apreciado", tuitou Pelosi.

"Rejeitamos os ataques racistas contra ele e apoiamos sua forte liderança", acrescentou.

O prefeito democrata de Baltimore, Bernard "Jack" Young, que é negro, rejeitou a retórica "dolorosa e perigosa" de Trump.

"É completamente inaceitável que o líder político de nosso país denigra uma cidade americana vibrante como Baltimore e que ataque brutalmente" Cummings, escreveu em um comunicado.

A pré-candidata democrata Kamala Harris, também afro-americana, tuitou que estava "orgulhosa" de ter sua sede de campanha no distrito de Cummings.

O próprio Cummings escreveu na mesma rede social: "Senhor presidente, vou ao meu distrito todos os dias. Toda manhã, eu me levanto e luto pelos meus vizinhos. É meu dever constitucional supervisionar o Poder Executivo. Mas é meu dever moral lutar pelos meus eleitores".

Como presidente do Comitê de Supervisão da Câmara de Representantes, Cummings iniciou investigações sobre políticas governamentais, incluindo relatos de maus-tratos em centros de detenção de imigrantes.

Trump recentemente atacou quatro jovens legisladoras democratas descendentes de imigrantes, a quem sugeriu "retornar" aos países "infestados pelo crime" de onde vieram.

A cidade portuária de Baltimore possui bairros bonitos e ricos e grandes distritos afetados pela pobreza. Tem uma das maiores taxas de homicídio do país.

Mais da metade da população do distrito de Cummings é negra.

Conheça a TV 247

Mais de Mundo

Ao vivo na TV 247 Youtube 247