Trump proíbe negociações com novos títulos de dívida da Venezuela e da PDVSA

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto presidencial proibindo negócios com títulos de dívida de certos setores públicos da Venezuela para pressionar o governo do presidente Nicolás Maduro e combater sua "tirania", disse a Casa Branca; decreto proíbe negócios com novos títulos de dívida emitidos pelo governo da Venezuela e por sua companhia estatal de petróleo, a PDVSA, mas permite que o Tesouro forneça licenças para outras transações comerciais e humanitárias

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa em Paris 13/07/2017 REUTERS/Kevin Lamarque
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa em Paris 13/07/2017 REUTERS/Kevin Lamarque (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto presidencial proibindo negócios com títulos de dívida de certos setores públicos da Venezuela para pressionar o governo do presidente Nicolás Maduro e combater sua "tirania", disse a Casa Branca nesta sexta-feira.

O decreto proíbe negócios com novos títulos de dívida emitidos pelo governo da Venezuela e por sua companhia estatal de petróleo, a PDVSA.

Mas a Casa Branca disse que o decreto permite que o Tesouro forneça licenças para outras transações comerciais e humanitárias, incluindo financiamento para trocas comerciais, exportações e importações de petróleo e transações que envolvam apenas a unidade dos Estados Unidos da PDVSA, a Citgo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email