Trump tem medo de nós, diz deputada progressista americana

A deputada democrata Rashida Tlaib disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, tem medo dos deputados progressistas, que ele ataca são continuamente atacados pelo presidente republicano

Donald Trump e deputadas Rashida Tlaib, Ilhan Omar, Ayanna Pressley e Alexandria Ocasio-Cortez
Donald Trump e deputadas Rashida Tlaib, Ilhan Omar, Ayanna Pressley e Alexandria Ocasio-Cortez (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Prensa Latina - A deputada democrata Rashida Tlaib disse que o presidente dos EUA, Donald Trump, tem medo dos deputados progressistas, que ele ataca são continuamente atacados pelo presidente republicano. 

Em entrevista ao jornal britânico The Guardian, publicada neste domingo
e citada por vários meios de comunicação norte-americanos, a congressista de Michigan disse que isso ficou muito claro para ela, especialmente na semana passada.  

Trump tem medo de mulheres negras, porque não temos medo dele e não temos medo de falar e dizer que há um supremacista branco na presidência da República, disse Rashida.   

Segundo ela, o chefe da Casa Branca tem medo porque ela e outras deputadas progressistas, como Alexandria Ocasio-Cortez (Nova York), Ilhan Omar (Minnesota) e Ayanna Pressley (Massachusetts) - têm uma agenda real para o povo americano. 

Rashida disse que muitas das ideias progressistas que ela e suas colegas estão promovendo, como eliminar a dívida estudantil, fornecer cobertura universal de saúde e aumentar os impostos sobre os ricos, são populares não apenas entre os democratas, mas também entre independentes e mesmo entre alguns republicanos.  

Os frequentes ataques de Trump a essas deputadas geraram fortes críticas quando ele disse que elas, de ascendência estrangeira, deveriam voltar aos “lugares infestados de onde vêm”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247