Ucrânia: confrontos deixaram 100 mortos e 14 feridos

Dados foram divulgados pelo ministério da Saúde da Ucrânia; segundo o balanço, a maioria dos manifestantes mortos no dia 20 de fevereiro foi vítima de disparos de franco-atiradores, fixados em edifícios em torno da Praça da Independência; na foto, pessoas rezam perto dos corpos de manifestantes mortos em confrontos com a tropa de choque, em Kiev

ATTENTION EDITORS - VISUAL COVERAGE OF SCENES OF INJURY OR DEATH

People pray near the bodies of anti-government protesters killed during clashes with riot police in Kiev February 20, 2014. Ukraine suffered its bloodiest day since Soviet times on Thursd
ATTENTION EDITORS - VISUAL COVERAGE OF SCENES OF INJURY OR DEATH People pray near the bodies of anti-government protesters killed during clashes with riot police in Kiev February 20, 2014. Ukraine suffered its bloodiest day since Soviet times on Thursd (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Agência Lusa - Os violentos confrontos registrados entre os dias 18 e 20 de fevereiro no centro de Kiev deixaram 100 mortos e 14 feridos que permanecem em estado grave, informou hoje (6) o Ministério da Saúde da Ucrânia.

De acordo com o balanço, a maioria dos manifestantes mortos no dia 20 de fevereiro foi vítima de disparos de franco-atiradores, fixados em edifícios em torno da Praça da Independência, centro dos protestos contra o presidente Viktor Ianukóvitch.

O procurador-geral interino da Ucrânia, Oleg Makhnitski, disse ontem (5) que pelo menos um franco-atirador disparou do topo do edifício do Banco Nacional do país, na Rua Institutskaia. A Procuradoria investiga relatos de que havia franco-atiradores no Hotel Ucrânia e no edifício da Rua Bankovaia.

Segundo Makhnitski, as autoridades determinaram a abertura de um processo judicial contra o chefe de um destacamento das forças especiais do Ministério do Interior na Crimeia, Serguei Avaliuk, identificado como um dos franco-atiradores.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email