Um quarto dos norte-americanos tem receio de vacina contra coronavírus, diz pesquisa Reuters/Ipsos

Ainda segundo a pesquisa divulgada nesta quinta-feira (21), cerca de 36% dos entrevistados disseram estar menos dispostos a tomar uma vacina se o presidente dos EUA, Donald Trump, disser que ela é segura, e apenas 14% ficariam mais interessados

Vacina para Covid-19 da Moderna mostra resultado promissor e faz ações dispararem
Vacina para Covid-19 da Moderna mostra resultado promissor e faz ações dispararem (Foto: REUTERS/Dado Ruvic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - Um quarto dos norte-americanos tem pouco ou nenhum interesse em tomar uma vacina contra coronavírus, revelou uma pesquisa Reuters/Ipsos publicada nesta quinta-feira, e alguns expressaram o receio de que a rapidez recorde com que candidatas a vacina estão sendo desenvolvidas possa comprometer a segurança.

Embora especialistas de saúde digam que uma vacina para evitar infecções é necessária para se voltar à vida normal, a pesquisa aponta para uma possível questão de confiança no governo Trump, já criticado por suas orientações de segurança frequentemente contraditórias durante a pandemia.

Cerca de 36% dos entrevistados disseram estar menos dispostos a tomar uma vacina se o presidente dos EUA, Donald Trump, disser que ela é segura, e 14% ficariam mais interessados.

A maioria dos participantes da pesquisa feita com 4.428 adultos entre 13 e 19 de maio disse que seria muito influenciada por orientações da Agência de Alimentos e Remédios ou resultados de estudos científicos de larga escala que mostrassem que a vacina é segura.

Menos de dois terços dos entrevistados disseram estar “muito” ou “algo” interessados em uma vacina, uma cifra que alguns especialistas de saúde esperavam ser mais alta, dada a grande conscientização a respeito da Covid-19 e as mais de 92 mil mortes relacionadas ao coronavírus só nos EUA.

“É um pouco menor do que pensei que seria com toda a atenção na Covid-19”, disse o doutor William Schaffner, especialista em doenças infecciosas e vacinas do Centro Médico da Universidade Vanderbilt de Nashville. “Eu esperaria algo em torno de 75%”.

Quatorze por cento dos consultados disseram que não têm nenhum interesse em tomar uma vacina, e 10% disseram não estar muito interessados. Outros 11% não tinham certeza.

Estudos estão em andamento, mas especialistas estimam que ao menos 70% dos norte-americanos precisariam estar imunes por meio de uma vacina ou uma infecção anterior para se chegar ao que é conhecido como “imunidade de rebanho” – quando uma quantidade suficiente de pessoas é resistente a uma doença infecciosa para evitar sua disseminação.

Trump prometeu ter uma vacina pronta até o final do ano, mas normalmente é preciso 10 anos ou mais para se desenvolver e testar a segurança e a eficiência destes medicamentos. Muitos especialistas acreditam que uma vacina totalmente testada e aprovada pelo governo não estará amplamente disponível antes de meados de 2021.

Existem mais de 100 candidatas a vacina contra a Covid-19 sendo desenvolvidas globalmente, inclusive algumas já nos testes clínicos em humanos.

A pesquisa Reuters/Ipsos foi realizada pela internet, em inglês, em todo o território norte-americano, e tem intervalo de credibilidade, uma medida de precisão, de mais ou menos 2 pontos percentuais.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247