Vice-presidente americano chama Rússia e Irã de maiores ameaças mundiais

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, qualificou a Rússia, o Irã e o terrorismo como as principais ameaças no mundo, contra quem Washington está disposto a ajudar seus aliados da OTAN; "Desde as tentativas da Rússia de refazer as fronteiras internacionais pela força até as tentativas iranianas de desestabilizar o Oriente Médio, até a ameaça global do terrorismo, que pode atacar em qualquer lugar e a qualquer momento — parece que o mundo de hoje é mais perigoso do que em qualquer outro período após o colapso do comunismo", afimrou Pence

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, qualificou a Rússia, o Irã e o terrorismo como as principais ameaças no mundo, contra quem Washington está disposto a ajudar seus aliados da OTAN; "Desde as tentativas da Rússia de refazer as fronteiras internacionais pela força até as tentativas iranianas de desestabilizar o Oriente Médio, até a ameaça global do terrorismo, que pode atacar em qualquer lugar e a qualquer momento — parece que o mundo de hoje é mais perigoso do que em qualquer outro período após o colapso do comunismo", afimrou Pence
O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, qualificou a Rússia, o Irã e o terrorismo como as principais ameaças no mundo, contra quem Washington está disposto a ajudar seus aliados da OTAN; "Desde as tentativas da Rússia de refazer as fronteiras internacionais pela força até as tentativas iranianas de desestabilizar o Oriente Médio, até a ameaça global do terrorismo, que pode atacar em qualquer lugar e a qualquer momento — parece que o mundo de hoje é mais perigoso do que em qualquer outro período após o colapso do comunismo", afimrou Pence (Foto: Leonardo Attuch)

Da Agência Sputinik

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, qualificou a Rússia, o Irã e o terrorismo como as principais ameaças no mundo, contra quem Washington está disposto a ajudar seus aliados da OTAN. 

"Desde as tentativas da Rússia de refazer as fronteiras internacionais pela força até as tentativas iranianas de desestabilizar o Oriente Médio, até a ameaça global do terrorismo, que pode atacar em qualquer lugar e a qualquer momento — parece que o mundo de hoje é mais perigoso do que em qualquer outro período após o colapso do comunismo", assegurou Pence para a edição Atlantic Council, referindo-se ao colapso da União Soviética em 1991.

O vice-presidente americano também sublinhou que os EUA estão completamente prontos para cumprir suas obrigações no âmbito da OTAN e "se alinhar ao princípio de que um ataque contra um [membro da OTAN] é um ataque contra todos nós".

"Com o surgimento de inimigos, antigos e novos, nossa Aliança deve continuar se desenvolvendo para fazer frente aos desafios de hoje e de amanhã, especialmente resistir à ameaça terrorista", adiantou o vice-presidente.

Vale ressaltar que, no seu discurso, Pence se referiu ao pronunciamento do presidente americano, Donald Trump, durante a última cúpula da OTAN. Porém, o chefe de Estado não falou abertamente sobre a disponibilidade dos EUA para efetuar uma defesa coletiva em conformidade com o artigo 5 da Carta da OTAN, pelo que ele recebeu uma crítica dura dos oponentes.

A edição Politico também comunicou que inicialmente o secretário de Defesa, o secretário de Estado e o conselheiro de Segurança Nacional teriam apelado a Trump para que mencionasse o artigo 5, mas no fim das contas, o discurso ficou sem estas palavras.

Depois, a Casa Branca explicou que o presidente também queria dizer o princípio da defesa coletiva quando falou da lealdade dos EUA à Aliança Atlântica.

A atenção em torno deste tema tem a ver com a forma demasiada crítica utilizada por Trump sobre os seus aliados da OTAN que, na opinião dele, não gastam as quantias previstas para reforçar sua capacidade defensiva, sobrecarregando Washington.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247