Washington quer destruir a Síria, diz assessora de Bashar Al-Assad

Os EUA estão apoiando os terroristas na Síria, impondo sanções contra Damasco que não estão de acordo com as resoluções da ONU e atacando posições do Exército nacional sírio, declarou a assessora política e de imprensa do presidente sírio, Bouthaina Shaaban

Washington quer destruir a Síria, diz assessora de Bashar Al-Assad
Washington quer destruir a Síria, diz assessora de Bashar Al-Assad

247, com Sputnik - Os EUA estão apoiando os terroristas na Síria, impondo sanções contra Damasco que não estão de acordo com as resoluções da ONU e atacando posições do Exército nacional sírio, declarou a assessora política e de imprensa do presidente sírio, Bouthaina Shaaban.

Os EUA estão tentando destruir a Síria e danificar sua infraestrutura, disse Shaaban na terça-feira (19).

"Os norte-americanos estão tentando com todas as suas forças destruir nosso país, minar sua infraestrutura. Sem dúvidas, agora é absolutamente evidente que o terrorismo não é um desastre natural, é planejado, apoiado por determinados países", declarou Shaaban em uma sessão do clube de discussões Valdai, na Rússia.

"Há muitos exemplos de que os EUA atacaram posições do Exército nacional sírio. Nestas circunstâncias, os países ocidentais introduzem novas sanções contra a República Árabe Síria que não têm nada a ver nem com as resoluções da ONU, nem com o direito internacional. Neste sentido, os EUA estão apoiando o terrorismo na Síria e não querem dialogar com o governo sírio, mas, ao mesmo tempo, estão sempre prontos para receber os líderes dos grupos terroristas", afirmou a assessora do presidente sírio Bashar Al-Assad.

A mídia síria informou diversas vezes sobre ataques aéreos da coalizão internacional, liderada pelos EUA, que provocaram vítimas entre os civis e danificaram a infraestrutura.

Os EUA lideram uma coalizão composta por mais de 70 países que, desde 2014, vem realizando ataques contra o grupo terrorista Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) na Síria sem a autorização de Damasco ou do Conselho de Segurança das Nações Unidas, sendo, assim, consideradas ilegais pelo governo do presidente sírio, Bashar Al-Assad.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247