A pedra no caminho de Aécio vem de Minas

O encontro estadual dos tucanos no estado mostrou que o senador mineiro está realmente decidido a disputar a presidência em 2014. Mas membros do seu grupo político estão preocupados: “O que fazer com Minas se o PSDB não apresentar um nome competitivo até lá? Vamos entregar para o PT?”

A pedra no caminho de Aécio vem de Minas
A pedra no caminho de Aécio vem de Minas (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O encontro estadual do PSDB em Belo Horizonte, na sexta-feira, mostrou que o senador Aécio Neves está animado. Como nunca fizera antes, o ex-governador de Minas Gerais incorporou o papel de candidato à presidência da República e tratou de enfraquecer o discurso de que não se expõe tanto como oposicionista: criticou fortemente o PT e a corrupção que alega estar entranhada no governo federal. No fim, aos gritos de “Aécio, presidente”, bradou: “É hora de Minas governar o Brasil” (leia mais aqui).

Aécio realmente quer disputar a sucessão de Dilma Rousseff, mas a pedra no meio do seu caminho rumo ao Palácio do Planalto encontra-se justamente em Minas Gerais. Apoiadores muito próximos do senador estão preocupados com o futuro do grupo político no estado. “Se correr o bicho pega, se ficar…”, diz um deles. “Seria ótimo o Aécio presidente, mas como ficaremos em Minas?”

Sem se identificar, eles estão preocupados, em primeiro lugar, com o governo de Antonio Anastasia, também do PSDB. Cria de Aécio, de quem foi secretário e vice-governador, ele enfrenta dificuldades na administração. Sem o apoio irrestrito da imprensa mineira - pelo menos na proporção que havia no governo Aécio -, Anastasia está sem espaço para aparecer muito, pois falta dinheiro no orçamento.

Um governo extremamente popular seria fundamental para a construção de um nome no PSDB para a disputa do governo mineiro em 2014. Sem Anastasia e sem Aécio, tucanos e aliados não sabem a quem apelar. O trunfo do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), está mais distante, dado o acordo nacional feito entre Lula e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, na prática o “dono” do PSB; e o acordo estadual entre o mesmo Lula e o presidente dos socialistas em Minas, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia.

Extremamente decidido a enfim tentar a presidência, ainda que perca, Aécio sabe que só a incógnita sobre o futuro do seu grupo em Minas poderá demovê-lo dessa ideia. Os tucanos, até agora, não têm nomes competitivos e/ou confiáveis para o estado em 2014. Pelo andar da carruagem e os dias que passam mais rápido do que deveriam, dificilmente conseguirão criar esse nome até lá. “Só que o Aécio está aí”, afirma um dirigente da base aecista no estado. Precisa explicar mais?

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247