À PF, Lula rebateu denúncias de Marcos Valério

Convocado a depor como testemunha para esclarecer denúncias do empresário Marcos Valério sobre o chamado 'mensalão', ex-presidente confirmou que teve duas reuniões com dirigentes da Portugal Telecom e do Banco Espírito Santo em 2003, no Palácio do Planalto, mas negou que tenha tratado de assunto fora da pauta prevista; segundo Valério, Lula teria auxiliado no repasse de R$ 7 milhões da Portugal Telecom para o PT

Convocado a depor como testemunha para esclarecer denúncias do empresário Marcos Valério sobre o chamado 'mensalão', ex-presidente confirmou que teve duas reuniões com dirigentes da Portugal Telecom e do Banco Espírito Santo em 2003, no Palácio do Planalto, mas negou que tenha tratado de assunto fora da pauta prevista; segundo Valério, Lula teria auxiliado no repasse de R$ 7 milhões da Portugal Telecom para o PT
Convocado a depor como testemunha para esclarecer denúncias do empresário Marcos Valério sobre o chamado 'mensalão', ex-presidente confirmou que teve duas reuniões com dirigentes da Portugal Telecom e do Banco Espírito Santo em 2003, no Palácio do Planalto, mas negou que tenha tratado de assunto fora da pauta prevista; segundo Valério, Lula teria auxiliado no repasse de R$ 7 milhões da Portugal Telecom para o PT (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-presidente Lula rebateu, em depoimento à Polícia Federal na semana passada, denúncias do empresário Marcos Valério feitas contra ele e o ex-ministro José Dirceu no final de 2012 e início de 2013. Valério, condenado como operador do chamado 'mensalão', envolveu os petistas no esquema.

A apuração de trechos do depoimento de Lula é do repórter Jailton de Carvalho, do Globo. Segundo ele, o ex-presidente confirmou ter tido duas reuniões com dirigentes da Portugal Telecom e do Banco Espírito Santo em 2003, no Palácio do Planalto, mas negou que tenha tratado de qualquer assunto fora da pauta.

Valério disse em seus depoimentos que no início de 2003 se reuniu com o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, para tratar de um repasse de R$ 7 milhões da Portugal Telecom para o PT. Segundo ele, após a reunião, houve um encontro rápido com Lula. De acordo com o empresário, o ex-presidente teria auxiliado nas negociações com dirigentes da empresa.

Lula afirmou no depoimento da semana passada, que durou cerca de uma hora e meia, que o assunto das reuniões era a preocupação dos empresários em relação a possíveis mudanças no mercado de telefonia no governo do PT. Lula teria os tranquilizado, assegurando que não faria alterações nas regras fixadas pelo seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso.

O repórter do Globo procurou o advogado José Gerardo Grossi, que acompanhou Lula no depoimento. Ele afirmou que não houve qualquer embaraço no depoimento e que o ex-presidente respondeu a todas as perguntas feitas a ele. "Não houve nada demais. Ele é um homem de cabeça democrática. Recebe isso com naturalidade", disse Grossi.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247