Adesão ao golpe mata chances eleitorais do PSDB

A aliança entre Aécio Neves e Michel Temer para destruir a democracia brasileira, a partir de um impeachment forjado e com votos comprados por Eduardo Cunha, destruiu o PSDB, segundo aponta pesquisa interna do partido; de acordo com o levantamento, 75% dos brasileiros dizem não acreditar que o partido tenha condições de eleger o próximo presidente da República; os motivos são a aliança com o Temer e a própria proteção a Aécio, também flagrado nos esquemas de propina da JBS, o que contribuiu para jogar a imagem do partido na lama; a única saída seria pular fora do barco governista e tentar reinventar a legenda 

Michel Temer Aécio Neves
Michel Temer Aécio Neves (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A aliança entre Aécio Neves e Michel Temer para destruir a democracia brasileira, a partir de um impeachment forjado e com votos comprados por Eduardo Cunha, destruiu o PSDB, segundo aponta pesquisa interna do partido.

"O PSDB recebeu dados que colocam na ponta do lápis a erosão de sua base eleitoral. Uma pesquisa encomendada pela sigla mostra que 75% dos brasileiros não acreditam que o próximo presidente será um tucano. No Nordeste, o quadro é ainda pior: 84%. Num recorte só com simpatizantes do partido, o estudo apontou três pilares para a descrença na legenda: a aliança com Michel Temer, a permanência de Aécio Neves (MG) no PSDB e as intermináveis brigas internas", informa a coluna Painel.

A única saída seria pular fora do barco governista e tentar reinventar a legenda  "O diagnóstico parece estar sendo levado ao pé da letra pelo presidente interino da legenda, Tasso Jereissati (CE)", diz ainda a coluna.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247