Aécio impõe condição para renunciar no PSDB: o fora Tasso

Segundo o jornalista Tales Faria, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) mandou o seguinte recado à cúpula tucana: aceita renunciar ao cargo de presidente do partido, do qual está licenciado, mas que junto também seja afastado o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE); nesta semana, Tasso disse que Aécio "não tinha mais condições" de ocupar o cargo, após a votação no Senado que o livrou das punições do Supremo

Segundo o jornalista Tales Faria, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) mandou o seguinte recado à cúpula tucana: aceita renunciar ao cargo de presidente do partido, do qual está licenciado, mas que junto também seja afastado o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE); nesta semana, Tasso disse que Aécio "não tinha mais condições" de ocupar o cargo, após a votação no Senado que o livrou das punições do Supremo
Segundo o jornalista Tales Faria, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) mandou o seguinte recado à cúpula tucana: aceita renunciar ao cargo de presidente do partido, do qual está licenciado, mas que junto também seja afastado o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE); nesta semana, Tasso disse que Aécio "não tinha mais condições" de ocupar o cargo, após a votação no Senado que o livrou das punições do Supremo (Foto: Gisele Federicce)

247 - O senador Aécio Neves (PSDB-MG) mandou o seguinte recado à cúpula tucana: aceita renunciar ao cargo de presidente do partido, do qual está licenciado, mas que junto também seja afastado o presidente interino, senador Tasso Jereissati (CE).

A informação foi publicada pelo jornalista Tales Faria, do site Poder360. Nesta semana, Tasso disse que Aécio "não tinha mais condições" de ocupar o cargo dentro da sigla, após a votação no Senado que o livrou das punições do Supremo - afastamento do mandato e recolhimento noturno.

Tasso foi ontem em busca do apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do governador Geraldo Alckmin pela saída de Aécio. Parte dos tucanos de São Paulo não apoia Tasso nessa briga, diz o jornalista, lembrando que uma parcela do tucanato criticou a atitude do cearense em pedir a cabeça do mineiro.

Os tucanos buscam agora um nome para assumir como presidente da legenda. O mais cotado é o governador de Goiás, Marconi Perillo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247