Aécio recebeu indulto privilegiado, diz Marina

Marina Silva (Rede), que apoiou Aécio Neves nas eleições de 2014, agora critica o tucano; a ex-ministra, presidenciável nas eleições de 2018, disse ser contrária à decisão do Senado de revogar as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao senador tucano; "Infelizmente tivemos uma decisão em que o Congresso tem a última palavra sobre os investigados da Lava-Jato. Nenhuma pessoa no Brasil pode fazer seu julgamento, a não ser os parlamentares, que têm foro privilegiado. Aécio recebeu indulto privilegiado", disse

Candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves durante encontro com a ex-senadora Marina Silva. São Paulo, 17/10/2014 – Foto Marcos Fernandes
Candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves durante encontro com a ex-senadora Marina Silva. São Paulo, 17/10/2014 – Foto Marcos Fernandes (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A ex-ministra Marina Silva (Rede), presidenciável nas eleições de 2018, criticou ontem a decisão do Senado de revogar as medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) ao senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Questionada durante uma palestra realizada no King's College de Londres, no Reino Unido, Marina atacou a união dos partidos que garantiram a manutenção do mandato de Aécio, citando especificamente o PT e o PSDB.

"Infelizmente tivemos uma decisão em que o Congresso tem a última palavra sobre os investigados da Lava-Jato. Nenhuma pessoa no Brasil pode fazer seu julgamento, a não ser os parlamentares, que têm foro privilegiado. Aécio recebeu indulto privilegiado", disse.

Marina defendeu ainda a postura do seu partido, o Rede, na votação a respeito de Aécio. "Foi meu partido que votou pela sua cassação e entrou com uma ação para que o voto fosse transparente, e ninguém se escondesse para fazer alianças espúrias", disse.

As informações são de reportagem no Valor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247