Alvaro Dias sobre Temer: ninguém acredita em chefe de organização criminosa

Pré-candidato à presidência da República em 2018, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) falou sobre a impopularidade de Michel Temer nesta sexta-feira; "O Temer não consegue convencer ninguém que as reformas dele são favoráveis ao povo. Não tem como acreditar em quem chefia uma organização criminosa”; segundo ele, a segunda denúncia oferecida pela procuradoria-geral da República é gravíssima – e ele deve ser cassado

Pré-candidato à presidência da República em 2018, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) falou sobre a impopularidade de Michel Temer nesta sexta-feira; "O Temer não consegue convencer ninguém que as reformas dele são favoráveis ao povo. Não tem como acreditar em quem chefia uma organização criminosa”; segundo ele, a segunda denúncia oferecida pela procuradoria-geral da República é gravíssima – e ele deve ser cassado
Pré-candidato à presidência da República em 2018, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) falou sobre a impopularidade de Michel Temer nesta sexta-feira; "O Temer não consegue convencer ninguém que as reformas dele são favoráveis ao povo. Não tem como acreditar em quem chefia uma organização criminosa”; segundo ele, a segunda denúncia oferecida pela procuradoria-geral da República é gravíssima – e ele deve ser cassado (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Pré-candidato à presidência da República em 2018, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) falou sobre a impopularidade de Michel Temer nesta sexta-feira, em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan.

"O Temer não consegue convencer ninguém que as reformas dele são favoráveis ao povo. Não tem como acreditar em quem chefia uma organização criminosa”, afirmou.

Dias avalia que a segunda denúncia oferecida pela procuradoria-geral da República contra Temer, por obstrução judicial e organização criminosa, é gravíssima – e ele deve ser cassado.

Ele também afirmou que, em 2018, o maior desafio dos candidatos será convencer a população a sair de casa e votar.

“O país está nervoso. O primeiro desafio é vencer a descrença. Se fizer uma pesquisa nas ruas, mais de 50% vão dizer que não querem votar em ninguém. Temos que convencer as pessoas de que é preciso tentar outra vez. Eu vou tentar me colocando à disposição”, afirmou.

Na entrevista, ele também explicou por que deixou o PSDB. "Saí por ser contra um modelo de partido em que as decisões são impostas de cima para baixo. Lutei para que o PSDB adotasse primárias, mas não fui vitorioso. O partido não exercita a democracia internamente. No Podemos, participo de um movimento”, disse.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247