Após liberar escravidão, Temer perdoa crimes ambientais de ruralistas

Na reta final da compra de votos para se salvar da denúncia em que é acusado de obstrução judicial e comando de organização criminosa, Michel Temer fez mais um favor aos ruralistas, poucos dias depois de liberar o trabalho análogo à escravidão nas fazendas; neste sábado, Temer perdoou em 60% multas ambientais que somam R$ 4,6 bilhões; além disso, as punições serão substituídas por prestações de serviços; volta da escravidão no Brasil foi condenada até pelas Nações Unidas, mas Temer governa apenas para os parlamentares que podem salvá-lo da cassação; degradação moral e institucional brasileira avança a cada dia e choca o mundo civilizado

Temer perdoa multas de ruralistas
Temer perdoa multas de ruralistas (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A volta da escravidão no Brasil não foi o favor final de Michel Temer aos deputados da bancada ruralista, que podem salvá-lo da acusação de obstrução judicial e comando de organização criminosa na próxima quarta-feira.

Neste sábado, ele concedeu descontos de 60% em multas ambientais de R$ 4,6 bilhões e converteu as penas em prestações de serviços.

A volta da escravidão no Brasil foi condenada até pelas Nações Unidas, mas Temer governa apenas para os parlamentares que podem salvá-lo da cassação (leia aqui artigo de Josias de Souza).

A degradação moral e institucional brasileira avança a cada dia e choca o mundo civilizado (leia aqui artigo sobre a condenação da ONU ao Brasil).

Leia aqui reportagem do G1 sobre o perdão aos ruralistas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247