Após lista, Alves deve perder ministério

Presidente da Câmara era cotado para a pasta da Previdência Social no novo governo Dilma, mas após a divulgação da lista de 28 políticos supostamente envolvidos no esquema de corrupção na Petrobras, conforme delação de Paulo Roberto Costa, pode ficar sem pasta; Henrique Alves (PMDB-RN) é citado pelo ex-diretor da estatal como um dos beneficiados; presidente Dilma Rousseff reavalia indicações, pois não quer chamar para a nova equipe nomes sob suspeita, que podem ser alvo de investigação a partir do ano que vem

Presidente da Câmara era cotado para a pasta da Previdência Social no novo governo Dilma, mas após a divulgação da lista de 28 políticos supostamente envolvidos no esquema de corrupção na Petrobras, conforme delação de Paulo Roberto Costa, pode ficar sem pasta; Henrique Alves (PMDB-RN) é citado pelo ex-diretor da estatal como um dos beneficiados; presidente Dilma Rousseff reavalia indicações, pois não quer chamar para a nova equipe nomes sob suspeita, que podem ser alvo de investigação a partir do ano que vem
Presidente da Câmara era cotado para a pasta da Previdência Social no novo governo Dilma, mas após a divulgação da lista de 28 políticos supostamente envolvidos no esquema de corrupção na Petrobras, conforme delação de Paulo Roberto Costa, pode ficar sem pasta; Henrique Alves (PMDB-RN) é citado pelo ex-diretor da estatal como um dos beneficiados; presidente Dilma Rousseff reavalia indicações, pois não quer chamar para a nova equipe nomes sob suspeita, que podem ser alvo de investigação a partir do ano que vem (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), deve ficar sem ministério no próximo governo da presidente Dilma Rousseff. Seu nome já havia sido acordado entre os peemedebistas para assumir uma pasta no próximo mandato, uma vez que o parlamentar se despede da Câmara no ano que vem, e ficaria sem cargo público.

O motivo é a reavaliação das indicações dos nomes por Dilma Rousseff, após a divulgação, nesta sexta-feira, da lista de 28 políticos supostamente envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras, conforme delação do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa. Segundo ele, Alves seria um dos beneficiados.

O deputado era cotado para assumir o ministério da Previdência Social no lugar de Garibaldi Alves. Dilma não quer indicar alguém que possa ser alvo de inquérito no ano que vem. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve indiciar os políticos envolvidos na Operação Lava Jato a partir de fevereiro, na volta do recesso Judiciário.

Alves se defendeu ontem, por meio de nota, das acusações de Costa. "É com extrema indignação que vejo meu nome citado em reportagem publicada hoje pelo jornal O Estado de São Paulo. Não há qualquer hipótese de verdade no meu envolvimento com as irregularidades cometidas na Petrobras. Repilo qualquer insinuação nesse sentido. Tenho a consciência absolutamente tranquila", diz trecho do comunicado.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247