Após reunião com Bolsonaro, PSD diz apoiar reforma, mas libera voto de parlamentares

O PSD não fará parte da base do governo e manterá sua independência, sem fechar questão a favor da reforma da Previdência, apesar de apoiar a medida, disse o presidente do partido, Gilberto Kassab, ao sair de reunião com o presidente Jair Bolsonaro; "O partido tem uma posição muito clara com a sua independência em relação ao governo, essa posição continuará", afirmou

Após reunião com Bolsonaro, PSD diz apoiar reforma, mas libera voto de parlamentares
Após reunião com Bolsonaro, PSD diz apoiar reforma, mas libera voto de parlamentares (Foto: REUTERS/Nacho Doce)

Reuters - O PSD não fará parte da base do governo e manterá sua independência, sem fechar questão a favor da reforma da Previdência, apesar de apoiar a medida, disse nesta quinta-feira o presidente do partido, Gilberto Kassab, ao sair de reunião com o presidente Jair Bolsonaro.

"O partido tem uma posição muito clara com a sua independência em relação ao governo, essa posição continuará", disse o ex-ministro a jornalistas após o encontro no Palácio do Planalto.

Segundo Kassab, Bolsonaro não ofereceu cargos em troca de apoio no Congresso, o que "seria até uma agressão", afirmou.

O presidente do PSD disse ainda que as reformas, especialmente a da Previdência e a tributária, fazem parte do programa do partido, mas que também é tradição do PSD não fechar questão em nenhuma votação para não tolher as posições pessoais dos parlamentares.

Reportagem de Lisandra Paraguassu

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247