Após virar réu no STF pela 2ª vez, Cunha se diz inconformado

Após se tornar réu em uma segunda ação no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta (22), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse, por meio de nota, estar confiante de que será absolvido; “Respeito a decisão e confio que, ao fim do julgamento do mérito, serei absolvido”, afirmou; ele disse ainda que respeita a decisão da Corte, mas demonstrou “inconformismo” porque argumentos da sua defesa não teriam sido levados em conta

Após se tornar réu em uma segunda ação no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta (22), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse, por meio de nota, estar confiante de que será absolvido; “Respeito a decisão e confio que, ao fim do julgamento do mérito, serei absolvido”, afirmou; ele disse ainda que respeita a decisão da Corte, mas demonstrou “inconformismo” porque argumentos da sua defesa não teriam sido levados em conta
Após se tornar réu em uma segunda ação no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta (22), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse, por meio de nota, estar confiante de que será absolvido; “Respeito a decisão e confio que, ao fim do julgamento do mérito, serei absolvido”, afirmou; ele disse ainda que respeita a decisão da Corte, mas demonstrou “inconformismo” porque argumentos da sua defesa não teriam sido levados em conta (Foto: Valter Lima)

247 - Após se tornar réu em uma segunda ação no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (22), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse, por meio de nota, estar confiante de que será absolvido.

“Respeito a decisão e confio que, ao fim do julgamento do mérito, serei absolvido”, afirmou Cunha em nota.

Ele disse ainda que respeita a decisão da Corte, mas demonstrou “inconformismo” porque argumentos da sua defesa não teriam sido levados em conta.

“Ressalto, ainda, o meu inconformismo com a decisão, dando como exemplo que a comprovação feita pela minha defesa de que uma suposta reunião na Petrobras não existiu, foi ignorada e usada como parte da fundamentação da aceitação da denúncia”, afirmou.

Leia a íntegra da nota:

Com relação à denúncia aceita hoje, pelo STF, tenho a falar:

1 - Respeito a decisão e confio que, ao fim do julgamento do mérito, serei absolvido.
2 - Lamento o não acolhimento das preliminares e concordo integralmente com os argumentos do ministro Marco Aurélio.
3 - Ressalto, ainda, o meu inconformismo com a decisão, dando como exemplo que a comprovação feita pela minha defesa de que uma suposta reunião na Petrobras não existiu, foi ignorada e usada como parte da fundamentação da aceitação da denúncia.
4 - Ao longo da instrução probatória, a minha defesa comprovará que o instituto do trust não significa que eu detenha a titularidade de conta.

Eduardo Cunha

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247