Articulação no STF tenta pôr Moraes como relator da delação da JBS

Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG)

Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG)
Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) (Foto: Aquiles Lins)

247 - Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F. 

A informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo. Segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). 

Moraes foi ministro da Justiça de Michel Temer, foi filiado ao PSDB e prestou serviços para a campanha presidencial derrotada de Aécio. Um dos maiores defensores do Supremo rediscutir os termos das delações de Joesley Batista e outros executivos da JBS é o ministro Gilmar Mendes. 

O Plenário do STF deve decidir nesta quarta-feira, 21, sobre a validade dos acordos de delação da JBS firmados com o Ministério Público. Na sessão, prevista para começar às 14h, os ministros vão discutir os limites da autuação dos juízes que são responsáveis pela homologação das delações premiadas (leia mais).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247