Articulação no STF tenta pôr Moraes como relator da delação da JBS

Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG)

Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG)
Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F; informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo; segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) (Foto: Aquiles Lins)

247 - Foi deflagrada no Supremo Tribunal Federal (STF) uma articulação para retirar do ministro Edson Fachin a relatoria das ações geradas com as delações de executivos da J&F. 

A informação foi divulgada pelo blog do colunista Lauro Jardim, do Globo. Segundo ele, ação "parte de um ministro" e tem como objetivo emplacar o nome de Alexandre de Moraes como substituto de Fachin nos casos que atingem diretamente Michel Temer e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). 

Moraes foi ministro da Justiça de Michel Temer, foi filiado ao PSDB e prestou serviços para a campanha presidencial derrotada de Aécio. Um dos maiores defensores do Supremo rediscutir os termos das delações de Joesley Batista e outros executivos da JBS é o ministro Gilmar Mendes. 

O Plenário do STF deve decidir nesta quarta-feira, 21, sobre a validade dos acordos de delação da JBS firmados com o Ministério Público. Na sessão, prevista para começar às 14h, os ministros vão discutir os limites da autuação dos juízes que são responsáveis pela homologação das delações premiadas (leia mais).

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247