Às vésperas do 1º turno, ministro do TSE acusa partido de Bolsonaro de tentar desacreditar eleição

O ministro também acionou o MPE (Ministério Público Eleitoral) para apurar irregularidades no documento da legenda bolsonarista

TSE, Jair Bolsonaro e a urna eletrônica

247 - O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, afirmou que a auditoria divulgada pelo PL, partido de Jair Bolsonaro, tenta desacreditar o pleito às vésperas do primeiro turno.

Em despacho assinado nesta sexta-feira (30), o ministro também acionou o MPE (Ministério Público Eleitoral) para avaliar se foram divulgadas informações sabidamente falsas para atingir o sistema eletrônico de votação, informa a Folha de S.Paulo.

Gonçalves afirma que o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, também é responsável pelo documento. Em ofício enviado ao tribunal, o dirigente partidário havia dito que apenas a equipe contratada na auditoria deveria responder pelo trabalho.

CONTINUA DEPOIS DAS RECOMENDAÇÕES

O IVL (Instituto Voto Legal) recebeu ao menos R$ 225 mil da sigla de Bolsonaro para elaborar o documento.

Segundo o ministro Gonçalves, o partido decidiu realizar "atividade paralela aos procedimentos de fiscalização" previstos pelo TSE.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.